segunda-feira, 22 de maio de 2017

Nuno Condinho nomeado novo Diretor Geral da OptimHome Portugal

A rede imobiliária OptimHome, recrutou Nuno Condinho como novo Diretor Geral para prosseguir o seu desenvolvimento em Portugal.

A OptimHome é uma nova geração de rede imobiliária de consultores independentes, com o apoio de uma equipa internacional, forte e próspera e a certeza de 100% de visibilidade online. É o primeiro grupo imobiliário que permite verdadeira independência e que assenta em valores enraizados no Profissionalismo, Reatividade, Inovação, Audácia e Humano. É um projeto internacional, empreendedor e inovador, com base em França, parte integrante do Grupo Artémis, Holding Patrimonial da família Pinault.

O segredo do seu grande sucesso baseia-se na liberdade dos grandes encargos das usuais agências e espaços convencionais de trabalho levando ao aumento exponencial da possibilidade de rendimento por parte de cada consultor.

quarta-feira, 3 de maio de 2017

Millennials optam pelo arrendamento e querem imóveis até 600 euros

Mais de 65% da geração Millennials – que integra indivíduos entre os 17 e os 37 anos – preferem o arrendamento e apenas 34,4% optam pela aquisição de imóveis. Cerca de 78% destes jovens optam por arrendamentos até 600 euros e apenas 19,5% realizam arrendamentos entre os 600 e os mil euros.

A conclusão é de um estudo realizado pela Century 21 que analisou as tendências dos millennials portugueses relativamente às suas opções de habitação, para perceber como esta nova geração de consumidores está a influenciar o mercado imobiliário.

Qual o preço certo de angariação num mercado em alta?

Nos últimos 3 anos e mais uma vez, o mercado imobiliário português transitou de uma situação de excesso de oferta de imóveis para escassez, o que naturalmente provocou uma subida generalizada nos preços. Esta subida foi mais acentuada em localizações prime como Lisboa, Porto e Algarve.

Apesar de estarmos num mercado em alta com tendência de subida, existe uma máxima no mercado de transações imobiliárias que é aplicável a todas as transações de compra, venda ou de arrendamento: qualquer imóvel que se encontre a um valor de mercado competitivo será facilmente transacionado e com maior rapidez.


Fonte: Out of the Box

Investimento imobiliário no Centro Histórico do Porto cresceu 64% em 2016

Em 2016, foram transacionados 513 imóveis no Centro Histórico do Porto, num total de 154 milhões de euros, um volume que apresenta um crescimento de 64% face ao investimento registado no ano anterior, revela a Confidencial Imobiliário.

Foi o 2º semestre do ano que mais contribuiu para este resultado, com um volume transacionado de 97,2 milhões de euros, o resultado semestral mais elevado desde 2007. No 1º semestre de 2016, as transações de imóveis nesta zona totalizaram 57 milhões, recuando face aos 68,8 milhões registados no semestre anterior.

Quase metade dos escritórios ocupados em Lisboa no 1º trimestre foram transacionados pela JLL

Confirmando a dinâmica de crescimento que se vive no mercado de Lisboa, a equipa de Office Agency & Corporate Solutions da JLL garantiu a ocupação de 17.954 m2 de escritórios no 1º trimestre de 2016, ou seja, cerca de 45% da área total absorvida desde início do ano. De acordo com o mais recente Office Flashpoint da consultora, as empresas ocuparam 39.899 m2 de escritórios neste período, num aumento de 23% face ao 1º trimestre de 2016.

“O ano começou com o mercado de escritórios bastante ativo e a tendência de transações de grande dimensão manteve-se, com nove operações acima dos 1.000 m2 nestes três meses. Muitas destas operações são referentes a mudanças de edifício, já que as empresas viram neste momento de mercado, em que ainda existem alguns edifícios novos ou em localizações prime, uma boa oportunidade para mudar de instalações”, comenta Mariana Rosa, Diretora do Departamento de Office Agency & Corporate Solutions da JLL.

Cushman & Wakefield responsável novamente pela expansão de uma marca internacional em território nacional

A marca francesa de moda Kiabi inaugurou a sua primeira loja na Grande Lisboa, mais concretamente no Forum Sintra, com aproximadamente 1.800 m2 de área.

A Cushman & Wakefield foi a consultora responsável por esta abertura, estando a atuar em representação exclusiva da Kiabi em toda a sua expansão de lojas em Portugal, procurando os espaços ideais para a marca se localizar. A insígnia internacional de têxteis já tem mais uma abertura prevista para maio no MAR Shopping Matosinhos.

Crédito à habitação: Prestação da casa volta a atingir novos mínimos

Os portugueses que revirem a taxa de juro do seu crédito à habitação, em maio, vão sentir um alívio no valor da prestação a pagar. Mas essa redução vai ser mais sentida nos empréstimos com indexantes de prazos mais alargados. Mas vamos a números. Para quem tem a Euribor a três meses a redução será de apenas 0,1% e de 0,5% no caso de seis meses.


Fonte: SOL

São Lourenço do Barrocal lança comercialização da componente imobiliária

A componente imobiliária de São Lourenço do Barrocal, em Reguengos de Monsaraz junto ao serpenteado Alqueva, entra hoje em comercialização.

No total são 25 lotes de terreno para construção de moradias unifamiliares, que complementam a oferta turística da Herdade, que integra um hotel, restaurante, spa e diversas outras valências de lazer.
As vendas da oferta imobiliária estão entregues à JLL, que irá captar compradores portugueses de segunda habitação, mas também público estrangeiro, motivado pela compra de casa para uso próprio ou para investimento.

Zona das Amoreiras vai ter novo projeto residencial com 50 apartamentos e vista única sobre a cidade e o Tejo

Está a nascer junto ao Jardim das Amoreiras o projeto residencial Amoreiras Vista, que trará 50 novos apartamentos para uma zona central e consolidada de Lisboa, onde a oferta de habitação nova de qualidade tem sido bastante limitada.

A vista ímpar sobre a cidade e o rio Tejo é um dos principais argumentos do empreendimento, que acaba de entrar em comercialização. A dinamização das vendas está a cargo da JLL em regime de co-exclusividade.

“O Amoreiras Vista localiza-se numa zona calma, mas que é ao mesmo tempo muito central e cosmopolita. Este eixo das Amoreiras sempre foi um destino residencial premium com bastante procura, especialmente pelas famílias portuguesas, mas nos últimos anos a oferta tem sido avulsa e resultante, muitas vezes, de frações reabilitadas em edifícios antigos. Por isso, acreditamos que este novo projeto gerará bastante interesse e temos muito boas perspetivas para as vendas”, comenta Patrícia Barão, Head of Residential da JLL.

De construção nova e com uma arquitetura moderna, o Amoreiras Vista dispõe de apartamentos nas tipologias T1 a T6, com áreas que variam entre os 53 e os 318 m2, destacando-se pelos elevados padrões de qualidade e conforto.

A boa exposição solar, a divisão inteligente dos espaços interiores, a amplitude de áreas, além dos terraços e varandas que permitem desfrutar das vistas sobre Lisboa e o Tejo são argumentos deste novo projeto, que dispõe de estacionamento para todos os apartamentos. A zona de grande centralidade em que se situa, permite ainda usufruir de uma vasta oferta de serviços, comércio tradicional e uma boa rede de transportes públicos.

O Amoreiras Vista tem a conclusão da construção estimada para julho 2019.

Fonte: JLL

Casas custam o dobro do que os compradores querem gastar

O aumento da procura turística e dos investidores estrangeiros, a par da falta de construção nova, fizeram disparar a diferença entre o valor da oferta de habitação e a procura.

Há um "claro desajustamento" entre a oferta e a procura de casas em Portugal. A escassez de stock , devido aos números "historicamente baixos" no licenciamento de novas habitações (11 233 novos fogos licenciados em 2016 contra 114 mil em 2001), a par da conversão de muitas casas e prédios em unidades turísticas, veio inflacionar os preços do imobiliário, sem que a carteira dos portugueses tenha acompanhado.


Fonte: DN

Casas na zona Ocidental de Lisboa têm preços de venda 50% a 60% abaixo do Centro Histórico

O preço médio de venda das casas na zona Ocidental de Lisboa está cerca de 50% a 60% abaixo dos valores registados nos principais bairros do Centro Histórico, revela a Confidencial Imobiliário no âmbito do SIR – Sistema de Informação Residencial.

Expansão do AlgarveShopping resulta num investimento de € 4,5 milhões

O fundo Iberia Coop, a parceria estratégica criada pela CBRE Global Investment Partners e pela Sonae Sierra, acaba de inaugurar uma expansão no AlgarveShopping, com o objetivo de reforçar e melhorar a sua oferta comercial.

O investimento de cerca de € 4,5 milhões permitiu aumentar a área comercial em mais 1.500m2 e, em paralelo, remodelar uma área comercial já existente de 4.200 m2, proporcionando a melhoria e ampliação de sete lojas do segmento de moda e perfumaria: Massimo Dutti, Bershka, Stradivarius, Pull & Bear, Douglas, Giovanni Galli e Zara, que passa a ter neste centro comercial a maior loja da marca na região do Algarve com 2.900m2.

André Jordan investe mais cem milhões em Belas e tenta atrair estrangeiros

Haverá 366 habitações com grande foco na sustentabilidade energética e aproveitamento de recursos. Captação para aproveitamento e reciclagem de água, tratamento de piscinas sem cloro, painéis fotovoltaicos e coletores solares.

André Jordan volta a investir no Belas Clube de Campo, às portas de Lisboa e, desta vez, traz uma proposta mais amiga do ambiente. Ao todo, o empresário luso-brasileiro, que também criou a Quinta do Lago, avança com cem milhões de euros para a construção das primeiras 200 unidades residenciais.


Fonte: DN

Valor de venda imediata ou livre arbítrio?

Em artigos anteriores sublinhei algumas das novidades que resultaram das alterações nas principais normas internacionais de avaliação de imóveis, mais concretamente nas International Valuation Standards (IVS) e nas European Valuation Standards (EVS).

De todas as novidades reveladas, talvez aquela que tenha mais impacto na avaliação de imóveis seja o surgimento de novas Bases de Valor. Recordando: uma Base de Valor descreve os pressupostos fundamentais que servem de suporte à estimativa do valor de um imóvel.
Continuar a ler...

Fonte: Out of the Box

Vanguard Properties investe 12 milhões de euros na construção do aldeamento turístico White Shell na Senhora da Rocha, Lagoa

A cerimónia de lançamento da primeira pedra do aldeamento turístico White Shell Beach Villas, projeto da responsabilidade da Vanguard Properties, um grupo de investimento imobiliário português realizou-se no dia 18 de abril. 

Este projeto representa um investimento de 12 milhões de euros e durante a sua construção dará emprego a cerca de 60 pessoas. A cerimónia foi presidida pelo Presidente da Câmara Municipal de Lagoa, Francisco José Malveiro Martins, e contou com a presença dos responsáveis da Vanguard Properties, bem como, da equipa projectista coordenada pela Saraiva + Associados e da construtora NVE Engenharias.

Recuperação das Obras Públicas no 1º trimestre de 2017

Após um período de significativa contração do mercado das Obras Públicas, os dados disponibilizados através do Portal Base evidenciam uma franca recuperação na atividade deste mercado. No primeiro trimestre de 2017 registaram-se crescimentos homólogos de cerca de 80% e de 105% no valor dos concursos promovidos e dos contratos celebrados, respetivamente.

A dinamizar o mercado estão as obras em edifícios públicos, principalmente em escolas, que assumiram uma importância significativa ao longo do primeiro trimestre (cerca de 40% do valor total posto a concurso e 39% do valor total dos contratos celebrados até março).

Habitação: Portugal valoriza 7.4%

O mercado residencial em Portugal valorizou 7,4% durante o ano de 2016, de acordo com dados recentemente divulgados pelo Eurostat. O nosso País valorizou acima da média da Zona Euro (4,1%) e da nossa vizinha Espanha (4,3%). Aliás, Portugal foi dos países que mais valorizou no ano passado, de entre os 29 países monitorizados...


Fonte: Out of the Box

37% do investimento habitacional no Centro Histórico de Lisboa localiza-se no eixo Chiado-Príncipe Real

As transações de imobiliário residencial no eixo composto pelos bairros do Chiado, Bairro Alto, Príncipe Real e Santa Catarina ascenderam em 2016 a €91,9 milhões, concentrando 37% dos €250,3 milhões investidos neste segmento no Centro Histórico de Lisboa, revelou a Confidencial Imobiliário no âmbito do SIR-Reabilitação Urbana*.

Com um peso de 28%, destaca-se também o eixo dos bairros de São Paulo, Santos, 24 de Julho e Bica, com transações residenciais que ascenderam a €71,2 milhões. Segue-se o eixo constituído por Alfama, Mouraria e Sé, onde as vendas de casas em 2016 ascenderam a €29,9 milhões, com um peso de cerca de 12% do total investido em habitação no Centro Histórico.

Absorção de escritórios cresce 20% no 1º trimestre do ano

A área de escritórios contratada em Março de 2017 (7.397 m2) foi inferior em 41% à registada no mesmo mês de 2016 (12.604 m2). No entanto, considerando o acumulado do primeiro trimestre, verifica-se que 2017 está 20% acima de 2016, com 38.921 m2 e 32.471 m2.

No primeiro trimestre do ano, foram registadas 52 operações, correspondendo a mais 7 transacções do que em igual período do ano anterior. O maior número de operações verificou-se no Corredor Oeste (Zona 6), com cera de 37% das transacções ocorridas. No extremo oposto, o Parque das Nações (Zona 5) apenas registou uma operação.


Fonte: Aguirre Newman

Setor das Residências de Estudantes: Portugal no radar dos investidores

Para dar resposta à crescente apetência dos investidores institucionais por ativos de alojamento de estudantes na Europa Continental, a JLL lançou recentemente o relatório European Student Housing 2017.

O documento evidencia as principais tendências a que os investidores devem estar atentos e identifica os seis mercados europeus onde este setor deverá registar um crescimento significativo e sustentado: França, Alemanha, Irlanda, Itália, Holanda e Espanha.

terça-feira, 11 de abril de 2017

André Jordan investe mais cem milhões em Belas e tenta atrair estrangeiros

Haverá 366 habitações com grande foco na sustentabilidade energética e aproveitamento de recursos. Venda arranca já. Captação para aproveitamento e reciclagem de água, tratamento de piscinas sem cloro, painéis fotovoltaicos e coletores solares. André Jordan volta a investir no Belas Clube de Campo, às portas de Lisboa e, desta vez, traz uma proposta mais amiga do ambiente.


Fonte: DN

Segmento de luxo no imobiliário continuará a crescer este ano

As imobiliárias preveem que o segmento de luxo continue a crescer este ano face ao aumento da procura, nomeadamente de clientes estrangeiros, e aos preços praticados em Portugal e que ainda estão abaixo das principais cidades europeias.

As imobiliárias consultadas pela agência Lusa manifestaram otimismo para 2017 e recordaram os bons resultados alcançados em 2016, com a Porta da Frente Christie’s a indicar que as suas receitas e transações aumentaram em cerca de 25%, enquanto a JLL, que comprou a Cobertura, indicou ter aumentado em 30% as suas vendas.


Fonte: Observador

Lisboa: Avenidas Novas e zona ribeirinha na 'mira' do imobiliário 'premium'

A cidade de Lisboa tem sido apetecível para os compradores do imobiliário de luxo, com as imobiliárias a preverem que ao interesse pelas tradicionais zonas nobres deverá juntar-se a procura pela zona ribeirinha e sobretudo pelas Avenidas Novas.

Rafael Ascenso, diretor-geral da Porta da Frente Christie’s, notou como a zona nobre de Lisboa tem sido a que mais cresce, ao concentrar o maior número de lançamentos imobiliários, nomeadamente ao nível da reabilitação urbana.


Fonte: Sapo 24

Grupo Garvetur reforça-se e cria estratégias para superar resultados de 2016

O grupo Garvetur | Enolagest prevê atingir um crescimento do seu volume de negócio em 2017 na ordem dos dois dígitos, disse hoje o administrador da empresa, Reinaldo Teixeira, durante o encontro anual que a empresa promove com a comunicação social.

Em 2016 a empresa teve um volume de negócios de cerca de 32 milhões de euros, mais 5% do que em 2015, e este ano volta a subir a meta nas suas várias áreas de negócio onde está aplicar um novo modelo de negócio com a estratégia “Win-Win”, que procura a satisfação tanto da empresa como dos clientes e parceiros envolvidos.

Continuar a ler...

Fonte: Região Sul

Mudança da lei das rendas não satisfaz senhorios nem inquilinos

O presidente da Associação de Inquilinos Lisbonenses acha positivo o prolongamento do congelamento das rendas anteriores a 1990, para idosos e deficientes, por mais cinco anos, e um pouco menos – três anos – para as famílias que tenham um rendimento anual de cinco salários mínimos.

No entanto, Romão Lavadinho defende que as mudanças aprovadas sexta-feira, pela maioria de esquerda, apenas resolvem um problema social e não têm um efeito positivo sobre o mercado de arrendamento que vive neste momento uma fase em que a procura é superior à oferta.


Fonte: RR

Faltam casas para vender no Barlavento Algarvio

A procura por habitação na Zona Oeste do Algarve tem crescido nos últimos anos mas a oferta é escassa, sobretudo de construção nova, por isso a reabilitação tem sido a solução encontrada.

O mercado imobiliário no Algarve vai de ‘vento em popa’, a procura cresceu exponencialmente e o destino é cada vez mais apetecível para os estrangeiros. Apesar do aumento na venda de casas, sobretudo para segunda habitação nos últimos dois anos, o número de transações ainda se mantém inferior ao período anterior à ‘crise’ e a principal razão para isso, é a falta de oferta de construção nova.


Fonte: JE

Arrendar casa custa em média 1458 euros

Encontrar um T1 para arrendar por menos de 800 euros por mês é quase impossível". São palavras do presidente da Associação dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária de Portugal (APEMIP) e ilustram a atual situação do mercado de arrendamento no País e, por maioria de razão, em Lisboa. Em declarações ao CM, Luís Lima traça um retrato preocupante da situação: "Há 5 ou 6 anos o peso do arrendamento no negócio das imobiliárias era de 70%, agora não sei se chega ao 30%".

Subida do preço das casas “não é sustentável”

Preços poderão crescer mais 4% em 2017. Investidores e famílias começam a olhar para as periferias como alternativa aos centros históricos.

Os preços da habitação em Portugal dispararam 7,1% no ano passado, mais do dobro do verificado em 2015. Os dados são do Instituto Nacional de Estatística, que destaca que esta subida é a mais elevada desde o quarto trimestre de 2010. 


Fonte: DV

IHRU lança projeto para assinalar centenário das políticas públicas da habitação em Portugal

O Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana (IHRU) apresentou hoje o projeto "Habitação: Cem anos de políticas públicas em Portugal: 1918-2018", numa sessão que contou com a presença do Secretário de Estado Adjunto e do Ambiente, José Mendes.

Este projeto, que assinala o centenário de Políticas Públicas de Habitação em Portugal, pretende retratar as várias iniciativas implementadas durante os últimos 100 anos e destinadas a melhorar as condições de alojamento dos portugueses.

segunda-feira, 10 de abril de 2017

Luís Lima: Imobiliário multiplicador

A cidade do Porto é um dos destinos europeus mais procurados para o Turismo, tornando-se um ponto de passagem e de paragem obrigatório para quem vem conhecer o nosso País, o que acaba por ter reflexo direto na procura imobiliária na cidade, que tem registado números crescentes.

Esta procura, incentivou e influenciou muito a Reabilitação Urbana de imóveis, muitos deles centenários, que aos poucos ganharam uma nova vida no meio do cinzento degradado que vinha a caracterizar a baixa da cidade Invicta nos últimos anos, antes da retoma do mercado imobiliário. Desde aí, que foram levados a cabo projetos interessantíssimos, que reorganizaram estrategicamente a cidade e o sector, promovendo o aparecimento de novos negócios, a geração de emprego e que devolveram à cidade a movida, a juventude e a cor.

Produção na Construção acelerou

O índice de produção na construção registou uma taxa de variação homóloga de 2,0% (0,8% em janeiro). O índice de emprego aumentou 2,4% e o de remunerações diminuiu 0,5%, (2,6% e 0,1%, no mês anterior, pela mesma ordem).

Continuar a ler...

Fonte: INE

Zona ribeirinha lidera na oferta de novos escritórios

A oferta de escritórios na cidade de Lisboa tem vindo a passar nos últimos anos por um processo de transformação, fruto da atividade de reabilitação urbana que se tem sentido e da evolução urbanística e cultural da cidade.

O resultado deste processo foi o surgimento de novas micro zonas de escritórios que contam com características muito particulares e que têm contribuído para um dinamismo renovado em termos de procura, permitindo-lhes destacarem-se para além da macro zona em que se inserem.

sexta-feira, 7 de abril de 2017

Massimo Forte publica o seu segundo livro: "Comunicar para Vender, tudo sobre a comunicação na mediação imobiliária"

No dia 18 de Abril, Massimo Forte apresenta o seu segundo livro, "Comunicar para Vender, tudo sobre a comunicação na mediação imobiliária".

Depois da sua primeira publicação, Angariar para Vender, que já vendeu cinco edições em menos de dois anos, neste livro, Massimo Forte explora tudo o que pode saber sobre a melhor forma de comunicar na área da Mediação Imobiliária.

Ao longo de quatro partes, divididas por 15 capítulos, vai poder aprender sobre a importância do autoconhecimento no processo da venda, como pode comunicar melhor com os outros, e como deve comunicar para vender.

São múltiplos os exemplos e os testemunhos que dão vida a um texto que qualquer Agente Imobiliário ou interessado no tema deve ler. Escrito de uma forma muito clara e fácil de assimilar, o conteúdo está cheio de dicas e conselhos de Massimo Forte e de outros depoimentos de referência neste mercado.

terça-feira, 4 de abril de 2017

Leilão de imóveis do Centro Hospitalar de Lisboa Central rendeu €9,5 milhões

O leilão de imóveis detidos pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central realizado esta tarde no âmbito da IV Semana da Reabilitação Urbana Lisboa valeu um encaixe de €9,5 milhões. O retorno da iniciativa será integralmente aplicado em investimentos de substituição de equipamentos médicos.

O leilão decorreu no Hotel Lisboa Plaza, junto ao Parque Mayer, e foi realizado pela Direção-Geral do Tesouro e Finanças, resultando na venda da totalidade dos 12 prédios integrados no lote e superando em muito o seu valor base agregado de €6,4 milhões.

Franceses e chineses são os que mais compram casas em Lisboa

Na primeira metade de 2016, os estrangeiros adquiram 909 imóveis, quer de uso residencial quer comercial, na Área de Reabilitação Urbana de Lisboa.

Franceses e chineses. Estas são as duas nacionalidades que mantêm a liderança de estrangeiros a comprar casa na área urbana de Lisboa. Juntos representaram 50% das compras feitas por estrangeiros no mercado imobiliário da capital.


Fonte: DV

Explorer lança fundo imobiliário de 200 milhões para investir em Lisboa

A Explorer Investments, a maior capital de risco em Portugal, vai avançar para uma nova área de actividade. A gestora, que nasceu em 2003, está a lançar um fundo imobiliário no valor de 200 milhões de euros para investir em escritórios em Lisboa.

"Estamos a trabalhar para montar um fundo imobiliário para escritórios em Lisboa, para arrancar dentro de dois meses", revela Elizabeth Rothfield, sócia-fundadora da Explorer, numa entrevista ao Negócios realizada em conjunto com Rodrigo Guimarães, também sócio-fundador e presidente.


Fonte: Negócios

Câmara do Porto lança concurso para mercado provisório do Bolhão

O concurso para transformar uma loja do Centro Comercial La Vie, no Porto, no espaço que vai acolher temporariamente os comerciantes do Bolhão durante as obras do mercado foi lançado esta sexta-feira. O valor base é de 920 mil euros.


Fonte: Construir

Imobiliário afasta riscos de ‘bolha’ nos preços

O imobiliário afasta, para já, os receios de uma ‘bolha’ em Portugal. Este foi um dos destaques do pequeno-almoço realizado pelo Dinheiro Vivo para discutir com as empresas a situação do mercado no nosso país.

Em franca recuperação nos últimos anos, depois da saída da troika, as empresas do sector manifestam, ainda assim, alguma cautela na definição dos preços de venda dos imóveis.


Fonte: DV

Já faltam edifícios em Lisboa para reabilitar

Falta de edifícios por reabilitar no centro histórico leva a expansão para outras zonas da cidade. Atualmente encontram-se em construção mais de 180 edifícios, a maioria projetos de reabilitação.

Segundo o estudo da consultora CBRE, “Lisbon Residential Brick Index”, começam a ser poucos os edifícios por reabilitar para venda no centro histórico, pelo que se prevê que se acentue a expansão da promoção para outras zonas da cidade e comecem a ser construídos mais projetos de raiz e com maior dimensão.


Fonte: JE

Dona da antiga sede do DN prevê volume de negócios médio anual de 70 milhões até 2022

A promotora imobiliária Avenue, responsável pela comercialização da antiga sede do Diário de Notícias (DN), em Lisboa, espera gerar até 2022 um volume de negócio médio de 70 milhões de euros por ano.

Numa apresentação nesta terça-feira à imprensa, em Lisboa, o director-geral da Avenue, Aniceto Viegas, indicou que a empresa orçamentou entre 2015 e 2017 um investimento de cem milhões de euros, dos quais cerca de 70% centrados em sete projectos em Lisboa e no Porto.


Fonte: Público