terça-feira, 11 de abril de 2017

André Jordan investe mais cem milhões em Belas e tenta atrair estrangeiros

Haverá 366 habitações com grande foco na sustentabilidade energética e aproveitamento de recursos. Venda arranca já. Captação para aproveitamento e reciclagem de água, tratamento de piscinas sem cloro, painéis fotovoltaicos e coletores solares. André Jordan volta a investir no Belas Clube de Campo, às portas de Lisboa e, desta vez, traz uma proposta mais amiga do ambiente.


Fonte: DN

Segmento de luxo no imobiliário continuará a crescer este ano

As imobiliárias preveem que o segmento de luxo continue a crescer este ano face ao aumento da procura, nomeadamente de clientes estrangeiros, e aos preços praticados em Portugal e que ainda estão abaixo das principais cidades europeias.

As imobiliárias consultadas pela agência Lusa manifestaram otimismo para 2017 e recordaram os bons resultados alcançados em 2016, com a Porta da Frente Christie’s a indicar que as suas receitas e transações aumentaram em cerca de 25%, enquanto a JLL, que comprou a Cobertura, indicou ter aumentado em 30% as suas vendas.


Fonte: Observador

Lisboa: Avenidas Novas e zona ribeirinha na 'mira' do imobiliário 'premium'

A cidade de Lisboa tem sido apetecível para os compradores do imobiliário de luxo, com as imobiliárias a preverem que ao interesse pelas tradicionais zonas nobres deverá juntar-se a procura pela zona ribeirinha e sobretudo pelas Avenidas Novas.

Rafael Ascenso, diretor-geral da Porta da Frente Christie’s, notou como a zona nobre de Lisboa tem sido a que mais cresce, ao concentrar o maior número de lançamentos imobiliários, nomeadamente ao nível da reabilitação urbana.


Fonte: Sapo 24

Grupo Garvetur reforça-se e cria estratégias para superar resultados de 2016

O grupo Garvetur | Enolagest prevê atingir um crescimento do seu volume de negócio em 2017 na ordem dos dois dígitos, disse hoje o administrador da empresa, Reinaldo Teixeira, durante o encontro anual que a empresa promove com a comunicação social.

Em 2016 a empresa teve um volume de negócios de cerca de 32 milhões de euros, mais 5% do que em 2015, e este ano volta a subir a meta nas suas várias áreas de negócio onde está aplicar um novo modelo de negócio com a estratégia “Win-Win”, que procura a satisfação tanto da empresa como dos clientes e parceiros envolvidos.

Continuar a ler...

Fonte: Região Sul

Mudança da lei das rendas não satisfaz senhorios nem inquilinos

O presidente da Associação de Inquilinos Lisbonenses acha positivo o prolongamento do congelamento das rendas anteriores a 1990, para idosos e deficientes, por mais cinco anos, e um pouco menos – três anos – para as famílias que tenham um rendimento anual de cinco salários mínimos.

No entanto, Romão Lavadinho defende que as mudanças aprovadas sexta-feira, pela maioria de esquerda, apenas resolvem um problema social e não têm um efeito positivo sobre o mercado de arrendamento que vive neste momento uma fase em que a procura é superior à oferta.


Fonte: RR

Faltam casas para vender no Barlavento Algarvio

A procura por habitação na Zona Oeste do Algarve tem crescido nos últimos anos mas a oferta é escassa, sobretudo de construção nova, por isso a reabilitação tem sido a solução encontrada.

O mercado imobiliário no Algarve vai de ‘vento em popa’, a procura cresceu exponencialmente e o destino é cada vez mais apetecível para os estrangeiros. Apesar do aumento na venda de casas, sobretudo para segunda habitação nos últimos dois anos, o número de transações ainda se mantém inferior ao período anterior à ‘crise’ e a principal razão para isso, é a falta de oferta de construção nova.


Fonte: JE

Arrendar casa custa em média 1458 euros

Encontrar um T1 para arrendar por menos de 800 euros por mês é quase impossível". São palavras do presidente da Associação dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária de Portugal (APEMIP) e ilustram a atual situação do mercado de arrendamento no País e, por maioria de razão, em Lisboa. Em declarações ao CM, Luís Lima traça um retrato preocupante da situação: "Há 5 ou 6 anos o peso do arrendamento no negócio das imobiliárias era de 70%, agora não sei se chega ao 30%".

Subida do preço das casas “não é sustentável”

Preços poderão crescer mais 4% em 2017. Investidores e famílias começam a olhar para as periferias como alternativa aos centros históricos.

Os preços da habitação em Portugal dispararam 7,1% no ano passado, mais do dobro do verificado em 2015. Os dados são do Instituto Nacional de Estatística, que destaca que esta subida é a mais elevada desde o quarto trimestre de 2010. 


Fonte: DV

IHRU lança projeto para assinalar centenário das políticas públicas da habitação em Portugal

O Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana (IHRU) apresentou hoje o projeto "Habitação: Cem anos de políticas públicas em Portugal: 1918-2018", numa sessão que contou com a presença do Secretário de Estado Adjunto e do Ambiente, José Mendes.

Este projeto, que assinala o centenário de Políticas Públicas de Habitação em Portugal, pretende retratar as várias iniciativas implementadas durante os últimos 100 anos e destinadas a melhorar as condições de alojamento dos portugueses.

segunda-feira, 10 de abril de 2017

Luís Lima: Imobiliário multiplicador

A cidade do Porto é um dos destinos europeus mais procurados para o Turismo, tornando-se um ponto de passagem e de paragem obrigatório para quem vem conhecer o nosso País, o que acaba por ter reflexo direto na procura imobiliária na cidade, que tem registado números crescentes.

Esta procura, incentivou e influenciou muito a Reabilitação Urbana de imóveis, muitos deles centenários, que aos poucos ganharam uma nova vida no meio do cinzento degradado que vinha a caracterizar a baixa da cidade Invicta nos últimos anos, antes da retoma do mercado imobiliário. Desde aí, que foram levados a cabo projetos interessantíssimos, que reorganizaram estrategicamente a cidade e o sector, promovendo o aparecimento de novos negócios, a geração de emprego e que devolveram à cidade a movida, a juventude e a cor.

Produção na Construção acelerou

O índice de produção na construção registou uma taxa de variação homóloga de 2,0% (0,8% em janeiro). O índice de emprego aumentou 2,4% e o de remunerações diminuiu 0,5%, (2,6% e 0,1%, no mês anterior, pela mesma ordem).

Continuar a ler...

Fonte: INE

Zona ribeirinha lidera na oferta de novos escritórios

A oferta de escritórios na cidade de Lisboa tem vindo a passar nos últimos anos por um processo de transformação, fruto da atividade de reabilitação urbana que se tem sentido e da evolução urbanística e cultural da cidade.

O resultado deste processo foi o surgimento de novas micro zonas de escritórios que contam com características muito particulares e que têm contribuído para um dinamismo renovado em termos de procura, permitindo-lhes destacarem-se para além da macro zona em que se inserem.

sexta-feira, 7 de abril de 2017

Massimo Forte publica o seu segundo livro: "Comunicar para Vender, tudo sobre a comunicação na mediação imobiliária"

No dia 18 de Abril, Massimo Forte apresenta o seu segundo livro, "Comunicar para Vender, tudo sobre a comunicação na mediação imobiliária".

Depois da sua primeira publicação, Angariar para Vender, que já vendeu cinco edições em menos de dois anos, neste livro, Massimo Forte explora tudo o que pode saber sobre a melhor forma de comunicar na área da Mediação Imobiliária.

Ao longo de quatro partes, divididas por 15 capítulos, vai poder aprender sobre a importância do autoconhecimento no processo da venda, como pode comunicar melhor com os outros, e como deve comunicar para vender.

São múltiplos os exemplos e os testemunhos que dão vida a um texto que qualquer Agente Imobiliário ou interessado no tema deve ler. Escrito de uma forma muito clara e fácil de assimilar, o conteúdo está cheio de dicas e conselhos de Massimo Forte e de outros depoimentos de referência neste mercado.

terça-feira, 4 de abril de 2017

Leilão de imóveis do Centro Hospitalar de Lisboa Central rendeu €9,5 milhões

O leilão de imóveis detidos pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central realizado esta tarde no âmbito da IV Semana da Reabilitação Urbana Lisboa valeu um encaixe de €9,5 milhões. O retorno da iniciativa será integralmente aplicado em investimentos de substituição de equipamentos médicos.

O leilão decorreu no Hotel Lisboa Plaza, junto ao Parque Mayer, e foi realizado pela Direção-Geral do Tesouro e Finanças, resultando na venda da totalidade dos 12 prédios integrados no lote e superando em muito o seu valor base agregado de €6,4 milhões.

Franceses e chineses são os que mais compram casas em Lisboa

Na primeira metade de 2016, os estrangeiros adquiram 909 imóveis, quer de uso residencial quer comercial, na Área de Reabilitação Urbana de Lisboa.

Franceses e chineses. Estas são as duas nacionalidades que mantêm a liderança de estrangeiros a comprar casa na área urbana de Lisboa. Juntos representaram 50% das compras feitas por estrangeiros no mercado imobiliário da capital.


Fonte: DV

Explorer lança fundo imobiliário de 200 milhões para investir em Lisboa

A Explorer Investments, a maior capital de risco em Portugal, vai avançar para uma nova área de actividade. A gestora, que nasceu em 2003, está a lançar um fundo imobiliário no valor de 200 milhões de euros para investir em escritórios em Lisboa.

"Estamos a trabalhar para montar um fundo imobiliário para escritórios em Lisboa, para arrancar dentro de dois meses", revela Elizabeth Rothfield, sócia-fundadora da Explorer, numa entrevista ao Negócios realizada em conjunto com Rodrigo Guimarães, também sócio-fundador e presidente.


Fonte: Negócios

Câmara do Porto lança concurso para mercado provisório do Bolhão

O concurso para transformar uma loja do Centro Comercial La Vie, no Porto, no espaço que vai acolher temporariamente os comerciantes do Bolhão durante as obras do mercado foi lançado esta sexta-feira. O valor base é de 920 mil euros.


Fonte: Construir

Imobiliário afasta riscos de ‘bolha’ nos preços

O imobiliário afasta, para já, os receios de uma ‘bolha’ em Portugal. Este foi um dos destaques do pequeno-almoço realizado pelo Dinheiro Vivo para discutir com as empresas a situação do mercado no nosso país.

Em franca recuperação nos últimos anos, depois da saída da troika, as empresas do sector manifestam, ainda assim, alguma cautela na definição dos preços de venda dos imóveis.


Fonte: DV

Já faltam edifícios em Lisboa para reabilitar

Falta de edifícios por reabilitar no centro histórico leva a expansão para outras zonas da cidade. Atualmente encontram-se em construção mais de 180 edifícios, a maioria projetos de reabilitação.

Segundo o estudo da consultora CBRE, “Lisbon Residential Brick Index”, começam a ser poucos os edifícios por reabilitar para venda no centro histórico, pelo que se prevê que se acentue a expansão da promoção para outras zonas da cidade e comecem a ser construídos mais projetos de raiz e com maior dimensão.


Fonte: JE

Dona da antiga sede do DN prevê volume de negócios médio anual de 70 milhões até 2022

A promotora imobiliária Avenue, responsável pela comercialização da antiga sede do Diário de Notícias (DN), em Lisboa, espera gerar até 2022 um volume de negócio médio de 70 milhões de euros por ano.

Numa apresentação nesta terça-feira à imprensa, em Lisboa, o director-geral da Avenue, Aniceto Viegas, indicou que a empresa orçamentou entre 2015 e 2017 um investimento de cem milhões de euros, dos quais cerca de 70% centrados em sete projectos em Lisboa e no Porto.


Fonte: Público

Renda média em Lisboa já custa 830 euros

As zonas mais caras para arrendar casa na capital são o Parque das Nações, onde a renda média ronda os 1080 euros, e as Avenidas Novas.

Que viver em Lisboa é cada vez mais caro já não é uma novidade. O boom turístico dos últimos anos fez disparar o preço do metro quadrado na capital. O último estudo da consultora imobiliária CBRE revela que o valor do arrendamento em Lisboa subiu 23% no último ano, para uma média de 830 euros por mês.


Fonte: DV

Luís Lima: Foi bom. Podia ser ótimo.

Os números oficiais sobre as transações de alojamentos familiares realizadas em Portugal durante o ano de 2016 foram divulgados recentemente pelo Instituto Nacional de Estatística.

Durante aquele ano realizaram-se 127.106 transações de habitações, registando-se um crescimento de 18,5% face a 2015, um número bem próximo das estimativas apresentadas pela APEMIP no início deste ano, que apontavam para um aumento na ordem 20%, confirmando deste modo a fiabilidade dos números reunidos e divulgados pela associação, que são um indicador muito importante para a monitorização do mercado imobiliário.

IHRU divulga novos dados sobre o seu parque habitacional

No âmbito do projeto implementado pelo IHRU, em janeiro passado, que visa a divulgação de informações relativas ao seu parque habitacional, são agora disponibilizados novos dados sobre o arrendamento, nomeadamente, sobre a tipologia, escalões e valores de renda praticados no património edificado do Instituto, entre outros dados.



Este projeto, desenvolvido por recurso a uma ferramenta de Business Intelligence, permite disponibilizar a todos os interessados informações sobre os bairros onde o Instituto tem património, a sua caracterização, localização e o valor da renda média, entre outros indicadores.

segunda-feira, 3 de abril de 2017

Rendas residenciais devem crescer em toda a região EMEA

Pela primeira vez em mais de 12 meses, as rendas residenciais deverão subir em todas as 15 cidades europeias monitorizadas pelo Residential Property Clock EMEA da JLL, um grupo onde se inclui Lisboa.

No Property Clock relativo ao 4º trimestre de 2016, que acompanha o desempenho dos mercados residenciais mais importantes da região EMEA e traça as suas perspetivas de evolução, a JLL dá conta de um crescimento das rendas no curto-prazo transversal a todas as cidades analisadas.

terça-feira, 28 de março de 2017

Governo espera mobilizar cinco mil milhões de investimento até 2023 para a Reabilitação

O Governo reiterou esta segunda-feira a importância que atribui à Reabilitação Urbana, sublinhando que estão em curso e igualmente em preparação um conjunto de mecanismos que se espera que mobilizem investimentos na ordem dos cinco mil milhões de euros até 2023.

A garantia foi deixada pelo próprio primeiro-ministro por ocasião da sessão de abertura da quarta edição da Semana da Reabilitação Urbana que decorre até ao próximo dia 2 de Abril, em Lisboa.


Fonte: Construir

Subida do preço das casas em Portugal "não é sustentável"

Preços poderão crescer mais 4% em 2017. Investidores e famílias começam a olhar para as periferias como alternativas aos inflacionados centros históricos de Lisboa e Porto.

Os preços da habitação em Portugal dispararam 7,1% no ano passado, mais do dobro do verificado em 2015. Os dados são do Instituto Nacional de Estatística, que destaca que esta subida é a mais elevada desde o quarto trimestre de 2010.


Fonte:  DN

Imobiliário de luxo vai continuar a crescer

Nem só as cidades de Lisboa e do Porto estão na mira dos compradores de imobiliário de luxo, a procura por propriedades rurais está a crescer e a despertar o interesse de investidores estrangeiros.

A continuidade das políticas de incentivo à reabilitação urbana e o tecido imobiliário de Lisboa e Porto, com um número elevado de imóveis a necessitar de recuperação total, asseguram uma cadência de oferta de mercado imobiliário de luxo para os próximos anos.


Fonte: JE

Apenas 17% dos imóveis vendidos são novos

Venda de imóveis novos é hoje metade do que se registava antes de crise. No ano passado houve 21604 vendas novas.

No ano passado foram vendidos em Portugal 127 106 imóveis, segundo dados compilados pela APEMIP. Mas com a construção em quebra desde os anos da crise, a compra e venda de casas faz-se da reabilitação de imóveis existentes.


Fonte: DV

Costa anuncia leilão de 13 prédios em Lisboa para reabilitação

São 13 prédios em zonas emblemáticas de Lisboa, como a Avenida da Liberdade, a Graça ou a zona do Príncipe Real e estão na sua maioria desocupados e a necessitar de obras profundas de reabilitação. Serão leiloados esta sexta-feira pelos Hospitais Civis de Lisboa, proprietários, e o objectivo é que sejam "recolocados no mercado". 

"Podem e devem ser espaço para acolher novos residentes para a cidade de Lisboa", anunciou o primeiro-ministro, António Costa, numa intervenção esta segunda-feira, 27 de Março, na abertura da Semana da Reabilitação Urbana, que decorre até ao dia 31.


Fonte: Negócios

Luís Lima: Incentivo à desigualdade

A fiscalidade aplicada sobre o sector imobiliário regressa uma vez mais às páginas dos nossos jornais, e o tema central volta a ser o Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI).

Desta vez, o Governo apresentou um diploma que revela a vontade de que a avaliação patrimonial dos imóveis, para efeitos de IMI, seja transferida para as Câmaras Municipais.

Felizmente, esta é uma proposta cujo óbito parece ter já sido anunciado, uma vez que nenhum outro partido na Assembleia da República parece concordar com a retirada desta competência das Finanças, para a transferir para as autarquias.

CML divulga resultado do sorteio a 13ª edição do Programa Renda Convencionada

A Câmara Municipal de Lisboa (CML) informou que o sorteio da 13ª edição do Programa Renda Convencionada decorreu no dia 24 de Março de 2017, pelas 14:30, com a presença da Sr.ª Vereadora do Pelouro da Habitação Paula Marques. Nesta edição foram sorteadas as 10 Habitações a concurso, tendo-se identificado o candidato sorteado a cada uma das habitações e os respectivos cinco suplentes. 

Valor médio de avaliação bancária aumentou

O valor médio de avaliação bancária para o total do País fixou-se em 1109 euros/m2 em fevereiro, registando um aumento de 3 euros/m2 face ao valor observado no mês anterior (variação de 0,3%). A variação homóloga fixou-se nos 5,7% (5,6% em janeiro).


Fonte: INE

Office Flashpoint: Ocupação de escritórios já cresceu 59% em 2017

O arrendamento de escritórios em Lisboa nos dois primeiros meses de 2017 já está 59% acima dos níveis de atividade no mesmo período de 2016, totalizando os 31.524 m², revela a JLL no seu mais recente Office Flashpoint.

No documento, a consultora analisa o desempenho do mercado de escritórios de Lisboa em fevereiro, mês em que as empresas ocuparam 13.592 m² na capital. Em janeiro, a atividade tinha totalizado 17.932 m2. Tal como para o acumulado do ano, a performance mensal comprova o dinamismo do mercado face a 2016, com o take up de fevereiro a subir 40% comparativamente ao mesmo mês do ano passado.

segunda-feira, 27 de março de 2017

Sectores alternativos do imobiliário

O mercado imobiliário, tipicamente, foca-se nos principais sectores para investimento: residencial, escritórios, retail, industrial. Estes são, secularmente, os sectores preferenciais para investimento. No entanto, há outros sectores, ditos alternativos, que são cada vez mais procurados por investidores e que proporcionam rentabilidades bem atractivas.

Como sectores alternativos de investimento, podemos citar: Residências de Estudantes;
Estruturas ligadas à área da saúde; Residências de 3ª Idade; Sector automóvel, parques de estacionamento; Pequenos armazéns, arrecadações.

Continuar a ler...

Fonte: Out of the Box

Semana da Reabilitação Urbana Lisboa 2017 começa hoje no Capitólio

A IV Semana da Reabilitação Urbana de Lisboa começa hoje, no cineteatro Capitólio, no Parque Mayer, decorrendo até ao próximo domingo, 2 de abril.

A sessão de abertura terá lugar às 15h00, com a presença do Primeiro Ministro, António Costa, e do Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, além do Presidente da Confederação Portuguesa da Construção e do Imobiliário, Manuel Reis Campos. O evento é coorganizado pela Vida Imobiliária e pela Promevi, com os apoios da Câmara Municipal de Lisboa, da EGEAC e da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa.

terça-feira, 21 de março de 2017

Negócio Residencial da JLL duplica vendas no 1º trimestre de 2017

A JLL duplicou as vendas de imóveis residenciais no 1º trimestre deste ano face ao ano passado e acredita que 2017 voltará a ser um ano de forte crescimento quer para a empresa quer para o mercado. Passando a operar neste mercado com a marca única JLL, a empresa inaugura hoje uma nova loja em Lisboa para dar resposta à crescente procura por este tipo de produto.

No acumulado dos últimos 12 meses, as vendas de imóveis residenciais realizadas pela JLL aumentaram 30% e envolveram transações com compradores oriundos de 43 países diferentes, praticamente duplicando as 24 nacionalidades junto das quais a empresa tinha vendido casas nas gamas média-alta e alta no ano anterior.

Fazer um crédito à habitação não estava tão barato desde 2003

As taxas de juro que determinam o valor da prestação da casa dos novos créditos estão em níveis mínimos dos últimos 14 anos.

Os números hoje divulgados pelo Banco de Portugal mostram que os juros associados aos novos empréstimos à habitação se situaram em janeiro nos 1,78%. Trata-se do valor mais baixo desde que esta série de dados foi criada (janeiro de 2003). Isto significa que há, pelo menos, 14 anos que fazer um crédito para comprar casa não estava tão barato.

Continuar a ler...

Fonte: DV

Rui Sá: Especulação imobiliária

Temos todos consciência de que um dos grandes problemas do Porto é a perda de população, situação que mais se faz sentir no seu Centro Histórico.

Esta situação tem-se vindo a agravar com o crescimento da pressão turística, como bem demonstrou a excelente reportagem de Filomena Abreu, publicada a 14 de março no JN, abordando a situação de vários moradores, particularmente idosos, que resistiram aos piores momentos de desertificação do centro e que, agora, têm de lidar com a pressão de senhorios que querem corrê-los para alugar/vender as suas habitações para utilizações turísticas.

Continuar a ler...

Fonte: JN

Regeneração urbana estimula cidade do Porto

A dinamização do mercado imobiliário chegou também à cidade do Porto, tanto na reabilitação urbana como na construção de condomínios de luxo.

Não é só Lisboa que está na moda. O Porto, depois de vencer pela terceira vez como Melhor Destino Europeu 2017, pela European Best Destination, é cada vez mais uma cidade obrigatória na rota dos turistas. Mas não é só no turismo que tem vindo a ganhar importância, também o mercado residencial conquistou uma nova dinâmica e a regeneração urbana é um facto consumado e em expansão.


Fonte: JE

Faltam casas para arrendamento em todo o país

Portugal tem, histórica e culturalmente, uma forte propensão para a aquisição de habitação própria, o que nos torna, segundo dados da consultora CBRE, divulgados no ano passado, o segundo país do mundo com a maior taxa de proprietários de imóveis, que atinge praticamente os 75%, só sendo ultrapassado pela vizinha Espanha.

Ora, como alerta Ricardo Sousa, presidente da rede Century 21 Portugal, isto levanta uma questão muito complicada no mercado imobiliário, pois as novas gerações têm mais propensão para a mobilidade e preferem arrendar, ao contrário dos seus pais e avós.


Fonte: Expresso