sexta-feira, 28 de março de 2014

Crescimento da procura impulsiona venda de casas

Em fevereiro, o aumento contínuo do interesse dos compradores resultou num ligeiro acréscimo das vendas de casas em Portugal, revela o Portuguese Housing Market Survey (PHMS), um inquérito mensal produzido pelo RICS – Royal Institution of Chartered Surveyors e pela Confidencial Imobiliário (Ci).

Além disso, o documento nota ainda que as instruções de compra continuaram a subir a bom ritmo durante esse mês. Face a este cenário, os inquiridos antecipam um forte crescimento das vendas nos próximos 3 meses.

Fevereiro é o quarto mês consecutivo em que o índice de confiança nacional (medida composta de preços e expectativas relativas a vendas) está em terreno positivo, e ainda que este indicador tenha recuado ligeiramente face a janeiro, indica uma melhoria genuína no sentimento de mercado. Por seu turno, os preços das casas continuaram a cair, embora a um ritmo mais lento.

O documento nota que o mercado de compra e venda de casas se encontra assim no seu melhor nível desde setembro de 2010, altura em que este inquérito foi lançado.

Ricardo Guimarães, Diretor da Ci, sublinha que “fevereiro é o sétimo mês consecutivo no qual as instruções de potenciais compradores cresceram e o décimo primeiro mês com expectativas de vendas positivas, o que que reforça a ideia de que poderemos estar próximos de chegar a um equilíbrio em termos de preços”.

Já Josh Miller, Economista Sénior do RICS, nota que “antes de se poder falar numa verdadeira reviravolta no mercado imobiliário residencial, o fluxo de boas noticias terá de se manter”. E acrescenta: “os resultados de fevereiro mostram que o aumento do interesse dos compradores se começa a traduzir em maiores volumes de transação, uma tendência que se prevê que continue no curto prazo. Apesar do seu abrandamento, tal não permitiu ainda travar a queda de preços”.

Em relação ao mercado de arrendamento, o PHMS de fevereiro evidencia uma subida marginal da procura por parte dos arrendatários, enquanto que as instruções de proprietários caíram pelo quinto mês consecutivo. As rendas continuam na sua trajetória descendente e deverão continuar este percurso no curto-prazo. Contudo, a perspetiva para a atividade no mercado de arrendamento melhorou, com os inquiridos a esperarem um aumento do volume de transações nos próximos 3 meses.

Fonte: Ci