sexta-feira, 11 de abril de 2014

Imobiliário Português devolve retornos positivos em 2013

O Índice Imobiliário Anual IPD Portugal, recentemente divulgado, mostra que o imobiliário terciário português devolveu um retorno total de 1,3% em 2013, um crescimento face ao retorno de 0,8% registado em 2012.

A performance do imobiliário português esteve contudo abaixo do desempenho das obrigações, que devolveram um retorno de 13,5% (Índice de Retorno das Obrigações do Tesouro com Maturidade de 7-10 anos publicado pela JP Morgan), e das ações, cujo retorno foi de 7,4% (de acordo com a MSCI Portugal) em 2013.

A melhoria da performance em 2013 foi essencialmente visível na componente do retorno de capital que, apesar de se manter em terreno negativo pelo sexto ano consecutivo (em -4,2%), desagravou face a 2012, quando havia sido de -4,8%. Esta desvalorização de capital, tal como em anos anteriores, foi influenciada pela descida das rendas e pelo crescimento das yields em todos os segmentos.

A componente do retorno das rendas manteve-se robusta, permitindo que o retorno total permanecesse em terreno positivo, mas ainda assim tendo recuado -0,2% para 5,6% em 2013, depois de três anos estabilizada nos 5,8%. Esta performance refletiu o impacto negativo do crescimento da taxa de disponibilidade e da pressão dos inquilinos sobre as rendas.

António Gil Machado, Vice presidente do IPD Portugal e Brasil, disse: “o imobiliário português exibiu uma grande resiliência e devolveu um retorno total positivo devido a um retorno das rendas robusto em 2013. A ligeira recuperação em 2013 face ao ano anterior foi suportada pela melhoria das condições económicas em Portugal, e a tendência para um novo crescimento económico e do consumo deverá manter-se em 20’14”.

O retalho foi o segmento imobiliário com a melhor performance em 2013, com um retorno total de 1,6%, seguido dos setores dos escritórios e industrial, com retornos de 1,1% e 0,7%, respetivamente. Apesar da melhoria de performance transversal a todos os setores, os escritórios e o imobiliário industrial registaram os segundos retornos mais baixos em 14 anos, altura em que o Índice IPD Portugal foi fundado, sendo que apenas 2012 registou resultados inferiores nestes segmentos.

O Índice Imobiliário Anual IPD Portugal baseia-se numa amostra de 969 ativos imobiliários com um valor de 7,9 mil milhões de euros à data de 31 de dezembro de 2013.

Fonte: IPD