segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Pequenos investidores impulsionam procura no mercado habitacional

De acordo com o inquérito mensal Portuguese Housing Market Survey (PHMS) de setembro, uma iniciativa do RICS (Royal Institution of Chartered Surveyors) e pela Confidencial Imobiliário (Ci), a procura de casas no mercado de compra e venda está a aumentar, confirmando a recuperação contínua deste mercado que foi adversamente afectado nos últimos anos. De acordo com vários agentes que participam no inquérito, este aumento de procura está relacionado com a entrada de pequenos investidores no mercado imobiliário. 

Para Ricardo Guimarães, Diretor da Ci, o maior interesse dos pequenos aforradores pelo mercado imobiliário deve-se ao facto destes “percecionarem maior risco de investimento noutras classes de ativos e é também uma forma de proteção face a problemas na Banca, como os ocorridos recentemente”.

O PHMS de setembro destaca que o mercado de compra e venda de casas continua a recuperar, embora o aumento de atividade não encontre ainda reflexo nos preços, que se têm apresentado relativamente estáveis. Ainda assim, há uma diferente evolução entre promotores e mediadores, com os primeiros a apresentaram uma recuperação de preços e os segundos uma descida (saldos de respostas de +9 nos primeiros e -9 nos segundos).

O índice de confiança - uma medida composta das expectativas de vendas e preços – passou de +23 para +9, embora parte desta queda resulte provavelmente do forte aumento de 10 pontos verificado no mês anterior. Contudo, parte da quebra deve refletir também o enfraquecimento das perspectivas económicas na Zona Euro. Ainda assim, o índice permaneceu em território positivo.

No setor de arrendamento, a procura por parte dos arrendatários também subiu, mas as instruções por parte dos proprietários caíram – ambas de forma bastante acentuada – desacelerando o ritmo de queda das rendas. Apesar de as rendas apresentarem quebras desde o início do inquérito em 2011, estão agora a cair ao ritmo mais lento alguma vez registado. A queda contínua das rendas deve-se, em parte, a um excesso de stock no mercado de arrendamento, que por sua vez resulta de um desencontro entre os tipos de casas em oferta e os tipos de casas procuradas.

Ao nível regional, salienta-se a subida da procura nas regiões de Lisboa e do Algarve. No Porto, destaca-se o comportamento das rendas, que continuam a cair.

Josh Miller, Economista Sénior do RICS, conclui: “A atividade no mercado de compra e venda está a recuperar e os preços das casas estão a estabilizar. Porém, por enquanto, ainda não estamos fora de perigo. A queda do índice de confiança verificada este mês relembra-nos que o mercado português continua vulnerável às fragilidades da economia da Zona Euro como um todo.”

Fonte: Ci