quinta-feira, 27 de novembro de 2014

O financiamento da reabilitação urbana

Escreveu há pouco tempo o eng. Reis Campos, presidente da Confederação Portuguesa da Construção e Imobiliário, neste mesmo jornal, que o Orçamento para 2015 é “completamente omisso em relação à reabilitação urbana, a qual constitui, nas palavras do próprio Governo, um vetor incontornável para o desenvolvimento sustentado”. Tem razão. Mas, para além da omissão no Orçamento, também há uma preocupante omissão no âmbito do próximo QREN, agora designado Acordo de Parceria 2014-2020.

No contexto do Acordo de Parceria, é necessário ter presente o seguinte facto incontornável: com exceção das obras marítimas ou ferroviárias, que ficaram por fazer, Portugal esgotou, nos anos recentes, todos os fundos para infraestruturas comunitariamente disponíveis e ganhou uma péssima reputação em Bruxelas quanto ao modo como os aplicou.


Fonte: Público