quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Programa da Semana da Reabilitação Urbana Porto 2014

Foi divulgado o programa da Semana da Reabilitação Urbana Porto 2014, que de 24 a 30 de novembro vai promover o debate sobre os grandes temas estruturantes que marcam o movimento da reabilitação em Portugal.

O programa de eventos da segunda edição da Semana da Reabilitação Urbana do Porto, que vai incluir cinco dias de conferências temáticas acerca dos grandes temas que marcam a agenda de desenvolvimento da reabilitação em Portugal. Cada sessão contará com o envolvimento de um comissário para o tema, reforçando o espírito das parcerias que têm marcado e dinamizado as anteriores Semanas da Reabilitação Urbana.

Além do ciclo de conferências, no Ateneu Comercial do Porto os finais de tarde estarão reservados para um conjunto de encontros e tertúlias que visam ser um momento privilegiado para a partilha de ideias entre os profissionais e o público.

Os mais novos também não foram esquecidos neste alinhamento, e a pensar neles no fim-de-semana a organização traz de volta ao Porto o workshop de arquitetura “ArquiBrinca”.

A marcar o arranque da Semana, na tarde de segunda-feira, 24 de novembro, a partir das 14h30, terá lugar conferência “Reabilitar o Passado, Construir o Futuro: uma prioridade para Portugal”. Comissariada por Manuel Reis Campos, Presidente da AICCOPN, esta sessão pretende traçar o ponto de situação do mercado da reabilitação no nosso país, dando a conhecer as principais oportunidades que oferece, bem como os instrumentos legais e financeiros hoje disponíveis para a dinamização deste mercado.

Na sessão de abertura estarão presentes o Ministro do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia, Jorge Moreira da Silva; além do Presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira; e ainda o Presidente da Porto Vivo, SRU, Álvaro Santos. Fernando Silva, Presidente do Inci, e Emídio Gomes, Presidente da CCDR-N, serão também intervenientes nesta conferência.

No dia seguinte tem lugar a primeira sessão da conferência “Engenheiros e Arquitetos: Atores fundamentais da Reabilitação”, comissariada pelo professor catedrático Vasco Peixoto de Freitas, da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, e pelo professor José Gigante, convidado da Faculdade de Arquitetura da Universidade do Porto.

A decorrer no Ateneu Comercial do Porto, arranca pelas 9h30 da manhã de terça e prolongar-se-á até ao final do dia seguinte. Direcionada a engenheiros e arquitetos, esta sessão irá incidir não só sobre as questões técnicas exigidas a quem projeta a reabilitação, mas vai também explorar temas diversos sobre as competências multidisciplinares que hoje são exigidas a estes técnicos especializados, colocando-lhes novos desafios.

O balanço dos dez primeiros anos de atividade da Porto Vivo SRU irá dominar a agenda de quinta-feira, dia 26. Intitulada “10 anos da Porto Vivo – Uma década de uma nova intervenção no Centro Histórico do Porto”, a conferência comissariada por Álvaro Santos, Presidente da Porto Vivo SRU, juntará no mesmo palco o Presidente da Câmara Municipal do Porto, Rui Moreira, o Presidente do IHRU, Vítor Reis, e o Secretário de Estado do Ordenamento do Território e Conservação da Natureza, Miguel Castro Neto, entre vários outros convidados.

Nesta sessão será ainda apresentado o novo Observatório da Reabilitação Urbana da Baixa do Porto, uma iniciativa que nasce da parceria da SRU com a Confidencial Imobiliário.

Francisco Rocha Antunes, FRICS e Chief Developer da Capital Urbano, é o Comissário da conferência sobre as “Tendências Emergentes” que terá lugar na sexta-feira, 28. Smart-Cities, BIM, as novas formas de financiamento e as alterações nos modos de habitar serão as grandes tendências em destaque, numa sessão que pretende ajudar a perceber qual o seu impacto na forma como se desenvolve a reabilitação urbana.

Tertúlias animam fins de tarde. A encerrar a agenda de cada dia, entre as 18h30 e as 20 h terão ainda lugar outras iniciativas na Semana da Reabilitação.

Assim, a APRUPP junta-se à Semana e convida o público para a Tertúlia “Cidade reabilitada? A perceção do turista”, no dia 24 de novembro, pelas 18h. Na quinta-feira, pela mesma hora, será a vez de nova tertúlia deste ciclo, desta feira dedicada ao tema “Mercado imobiliário e proteção do património: convergências e divergências”.

Já a NCREP vai organizar uma sessão de esclarecimento aberta a todos os entusiastas da reabilitação, na sexta-feira, dia 28, com o mote “Reabilitação estrutural no Porto – Casos Práticos”

Jovens Arquitetos. As atividades para os mais novos não foram esquecidas e no sábado a Semana da Reabilitação Urbana traz de volta ao Porto pelo segundo ano consecutivo o ArquiBrinca – Arquitetura para Crianças. A decorrer entre as 10h e as 13h, o evento irá ocupar toda a manhã. Trata-se de um workshop participativo, dirigido a crianças e famílias, com base no sistema de construção modular LUPO.

Os participantes vão ter de ultrapassar diversos desafios para, em conjunto, criarem um modelo tridimensional, com base nos planos apresentados pelos monitores, e usando a sua criatividade para entrar no mundo da arquitetura através das suas próprias reflexões. O resultado será uma surpresa para todos!

Semana da Reabilitação Urbana Porto 2014

A decorrer de 24 a 30 de novembro, a II Semana da Reabilitação Urbana Porto é organizada pela parceria Promevi/Vida Imobiliária e conta com os apoios da Porto Vivo, SRU e da Câmara Municipal do Porto, além dos patrocínios institucionais da CCDR-N, INCI, IHRU e AICCOPN e de empresas como a Caixa Geral de Depósitos, Schmitt+Sohn, Lucios , Secil, Sonae Indústria, Weber, e Luz e Som.

Durante sete dias, o Ateneu Comercial do Porto será palco de um conjunto de conferências, exposições e workshops, além de uma mostra de soluções e iniciativas relacionadas com a reabilitação urbana, onde empresas e outras entidades poderão expor a sua ação e promover contactos mais diretos com o público em geral e com outros profissionais.

O evento dirige-se aos profissionais e académicos que integram a reabilitação urbana na sua atividade diária, entidades públicas, associações do setor, mas também às famílias, às crianças e aos turistas, tentando levar este movimento a cada vez mais públicos. Pretende por um lado, promover o contacto e o debate entre os profissionais sobre as melhores práticas na reabilitação urbana, mas também afirmar-se como uma ação de sensibilização da população em geral.

Fonte: VI