segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Sector imobiliário pede ao Governo que adie fim da cláusula de salvaguarda do IMI

A Confederação Portuguesa da Construção e do Imobiliário (CPCI) considera que o fim desta cláusula de salvaguarda representa um "agravamento fiscal sobre as famílias que tem de ser ponderado".

A proposta do Orçamento do Estado para 2015 apontam para receitas totais de 1.632 milhões de euros com o Imposto Municipal sobre Imóveis no próximo ano. O valor fica acima dos 1.482 avançados para este ano.


Fonte: Negócios