segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Consumidores procuram comodidade e experência social

A maioria dos consumidores europeus (88%) procuram maior variedade de marcas e uma experiência de compra inclusiva quando decidem onde comprar. A limpeza, o preço e comodidade são fatores de grande relevância para todos os consumidores, mas para os consumidores jovens (18-24 anos) a experiência social continua a ser um foco importante enquanto compram, de acordo com o ultimo estudo da consultora imobiliária CBRE.

As redes sociais influenciam a maneira como os consumidores compram, de acordo com as mulheres (36%), os jovens entre 18 e os 24 anos (40%) e os clientes de classe alta (35%), que utilizam as redes sociais para se manterem a par das ofertas especiais e eventos.

Nos consumidores jovens, verifica-se que apenas 24% dos consumidores da Alemanha usam as redes sociais em comparação com 60% na Roménia e 62% na Turquia.

Os homens e as mulheres na Grã-Bretanha e na Dinamarca são os menos comprometidos, no que concerne às compras influenciadas pelas redes sociais. Os consumidores jovens também acedem a aplicações de centros comerciais duas vezes por mês, refletindo a necessidade dos centros comerciais se tornarem mais apelativos para os consumidores mais experientes em tecnologia.

Carlos Récio, Diretor de Agência de Retail da CBRE, afirma que “Os Centros Comerciais vivem momentos complexos, já que os consumidores estão cada vez mais exigentes e procuram a diferenciação e uma a experiência única e relevante quando selecionam onde efectuar as suas compras.”

Esta diferenciação, em conjunto com uma oferta comercial o mais abrangente possível, são seguramente dois pontos fundamentais para o sucesso dos Centros Comerciais.”

Peter Gold, Responsável pelo Cross Border de Retail da CBRE comentou: “Em geral a experiência da compra pode ser crucial para o sucesso ou o fracasso de muitos projetos em todo o mundo. Como os consumidores se estão a tornar cada vez mais exigentes, os proprietários dos centros comerciais têm que investir cada vez mais para tornarem o seu centro comercial mais “experimental”, impulsionar o footfall e aumentar o tempo de permanência. Cada vez mais existem centros comerciais com opções de refeição de alta qualidade, entretenimento, eventos especiais e espaços para as crianças.”

No último inquérito da CBRE realizado a 21.000 consumidores europeus em 21 países, as áreas de entretenimento, tais como cinemas, bowling, WI-FI gratuito e um bom local para se encontrarem com os amigos provaram ser um significante fator de atração, principalmente para consumidores jovens na Grã-Bretanha, Dinamarca e Noruega, comparado com gerações mais velhas. Este aspeto social também varia de acordo com o género com 70% das consumidoras femininas na Grã-Bretanha referindo que esperam que um destino de compras seja um bom local para se encontrarem com amigos enquanto que apenas 49% dos homens concordam. As mulheres e os consumidores jovens partilham as mesmas aspirações para as suas deslocações para realizarem compras como sendo uma atividade social e de lazer em linha com os consumidores do sul da Europa.

Os consumidores também classificaram a presença de bons restaurantes como outro fator apelativo quando decidem onde comprar e acreditamos que tal pode ajudar a prolongar a experiência dos consumidores. Os consumidores jovens (18-24 anos) na Grã-Bretanha (31%) e na Irlanda (36%), em particular, consideram que bons restaurantes são muito importantes num destino de compras comparado com 21% de todos os consumidores. Os proprietários precisam de se concentrar no que podem oferecer nos centros comerciais para além das vendas de comércio puro e devem considerar investir no espaço que os jovens consideram importante para assegurar um retorno de longo prazo.

Natasha Patel, Diretora Associada de Research, CBRE EMEA, comentou: “Como comprar se tornou mais do que uma necessidade, mas também uma atividade social, os proprietários e retalhistas precisam de se adaptar a esta exigência através de mais ofertas de lazer. O consumidor esclarecido procura uma experiência integrada e é importante que os proprietários e retalhistas compreendam não apenas como trazer os consumidores até à sua porta, mas também como mantê-los nos seus centros ou lojas por mais tempo. Podemos já ver bons exemplos desta realidade através do aumento da gastronomia em centros e em conceitos como a KidZania.”

Fonte: CBRE