segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Miguel Neto: Copo meio cheio ou meio vazio

O volume de negócios da reabilitação urbana, no setor da construção civil, atingiu, em 2013, 10,3%, significando um volume de produção de 15 MEuro. Vivemos uma profunda mudança deste modelo de negócio, exigida pelo próprio mercado, em que o excesso de habitação e os constrangimentos ao crédito ditaram quebras acentuadas.

Antes de encetar críticas relativas aos baixos níveis de reabilitação, devemos compreender a realidade e promover uma resposta integrada e eficaz no longo prazo. Verifica-se que as cidades se desenvolveram para a periferia, tornando-se vazias no seu centro e que os custos associados à reabilitação e seus constrangimentos contrastavam com os baixos custos da construção nova e simplicidade da respetiva obra.


Fonte: JN