sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

Grandes negócios imobiliários adiados impedem ano "recorde" em 2014

Vilamoura ou Vale do Lobo são apenas exemplos de negócios que poderão transformar o mercado do imobiliário comercial em 2015. O universo Espírito Santo poderá dar o toque final nesta equação.

A previsão da Cushman & Wakefield era de que o investimento em imobiliário comercial português pudesse ultrapassar os mil milhões de euros em 2014. Após o fecho do ano, o balanço está feito: 700 milhões de euros.

Longe do recorde de 2007 (com um valor de 1,2 mil milhões), o ano passado superou a média anual da última década fixada nos 600 milhões de euros. Em média, cada negócio fechado fixou-se na casa dos 20 milhões.


Fonte: Negócios