quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

III Executive Breakfast Session da APPII discute temas da cidade de Lisboa

A Associação Portuguesa de Promotores e Investidores Imobiliários (APPII) continua a promover o ciclo de pequenos-almoços executivos para a troca de ideias e opiniões entre os promotores imobiliários e o poder governativo e autárquico.

Esta Executive Breakfast Session teve como oradores convidados o Vice-Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Dr. Fernando Medina e o Vereador com os pelouros do urbanismo e reabilitação urbana, Arq. Manuel Salgado.

"A APPII é cada vez mais ponto incontornável de contacto entre os principais players do sector imobiliário, desde o promotor ao investidor estrangeiro e assume-se como uma canal de acesso directo e exclusivo dos seus Associados aos centros decisão nacionais".

Foram abordados vários temas do Município de Lisboa, "entre eles a necessidade de mais simplificação e desburocratização dos serviços camarários, incluindo a urgente desmaterialização dos processos e a necessidade de se reduzir o tempo de decisão, quer o número de entidades consultadas no âmbito do licenciamento. O Município deve ter um atendimento friendly aos promotores e investidores que a ela recorrem".

"Discutiu-se ainda o futuro da reabilitação urbana e do arrendamento na cidade de Lisboa, procurando-se criar mercados equilibrados que tenham em conta as actuais capacidades económicas dos portugueses, sem esquecer o interesse dos investidores estrangeiros".

"A reabilitação da cidade engloba as 3 vertentes: equipamentos, habitação e espaço público, tendo sido elencados os principais projectos que estão em curso neste momento: (i) arco ribeirinho, (ii) Cais do Sodré/Corpo Santo, (iii) Campo das Cebolas/doca da Marinha, (iv) novo terminal de cruzeiros de Santa Apolónia, (v) parque ribeirinho oriente, (vi) o projecto “Uma Praça em Cada Bairro”, (vii) a melhoria nos acessos ao Castelo e (viii) a requalificação do eixo central de Lisboa, que incluirá a requalificação do espaço público desde o Saldanha até Picoas, incluindo o mega projecto que nascerá brevemente no cruzamento da Av. Fontes Pereira da Melo com a Av. 5 de Outubro, designado FPM 41".

"O futuro de Lisboa passa pela conjugação dos seguintes vectores: (i) trazer as pessoas a habitar novamente a cidade, (ii) proceder à inclusão social e (iii) densificar uma política de carbono zero".

"De salientar ainda a necessidade referida por todos de um política mais integrada de transportes na Grande Lisboa, incluindo a urgência em se alargar a rede de Metropolitano ao eixo Amoreiras, Campo de Ourique, Estrela e São Bento, bem como, já fora de portas, a Algés e Benfica".

Como grandes novidades, foi no final apresentado:
  • a intervenção no Parque Mayer, que vai finalmente avançar;
  • a decisão da alienação do terreno da antiga Feira Popular até ao verão;
  • o lançamento para breve de um Fundo Municipal de Urbanização;
  • o lançamento de um programa que preveja a disponibilidade aos promotores de terrenos e edifícios do Município, destinado depois à habitação no centro da cidade.

Fonte: Associação Portuguesa de Promotores e Investidores Imobiliários