segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Curso de Especialização em Territórios colaborativos: Processos, Projeto, Intervenção e Empreendorismo

Uma proposta singular e inovadora no quadro nacional da oferta formativa de ensino superior, reafirmando o papel do ISCTE-IUL, dos Arquitetos Sem Fronteiras - Portugal e da Câmara Municipal de Lisboa na aproximação a problemáticas emergentes da condição arquitetónica e urbana contemporânea, antecipando mudanças de paradigmas sobre o modo como se equacionará a prática profissional da arquitetura no mundo atravessado por transformações profundas de natureza económica, social, cultural e tecnológica.

O curso tem como um dos objetivos essenciais responder a uma necessidade sentida pelos agentes de desenvolvimento comunitário local urbano/arquitetónico na implantação de novas respostas e práticas.

O envolvimento dos habitantes na definição do espaço público, e consequente melhoria das condições de vida, leva a um desenvolvimento de inteligência coletiva crítica e, naturalmente, as instituições municipais adaptam-se, criando mecanismos pró-ativos de participação, avaliação e codecisão.

Neste contexto, torna-se premente que o arquiteto tenha um papel ativo enquanto mediador, ator, desenhador social e urbano. A colaboração com equipas multidisciplinares (sociólogos, animadores locais, assistentes sociais, psicólogos, agentes do poder municipal, juristas, consultores económicos) e com os cidadãos na procura de soluções de projeto é cada vez mais uma realidade.

O curso promove uma flexibilidade de soluções junto dos possíveis candidatos, que podem frequentar módulos isolados; 3 módulos ou a totalidade do curso
Intervenção

O curso pretende dotar os alunos de competências críticas e de síntese sobre um conjunto de instrumentos e metodologias de caracter multidisciplinar, através do desenho e construção de soluções em cenário real, no âmbito da concretização de um projeto Europeu promovido pela Câmara Municipal de Lisboa.

Destinatários. O curso de especialização tem como destinatários preferenciais titulares de uma licenciatura e/ou mestrado integrado, da área da arquitetura e urbanismo, que necessitem adquirir, ou aprofundar, conhecimentos ao nível da análise, reflexão, participação, desenho, construção e gestão de processos/soluções que impliquem envolvimento comunitário (arquitetos, técnicos, decisores públicos de entidades publicas de administração local; arquitetos e membros de organizações associativas locais sem fins lucrativos, fundações de desenvolvimento comunitário local e Câmaras Municipais). O trabalho realizado poderá ser relevante no âmbito da atividade profissional, ou na realização de trabalho de investigação, nomeadamente em Mestrado ou Doutoramento.