quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Engel & Völkers reforça resultados em Portugal

A Engel & Völkers voltou a aumentar as vendas em Portugal em 2014, tendo registado um volume de negócios de 21,2 milhões de euros. No total das cinco lojas a operar em território nacional, o preço médio de venda dos imóveis rondou o meio milhão de euros.

A par dos bons resultados na venda de imóveis premium, a Engel & Völkers continuou a registar uma subida nos arrendamentos de luxo, em relação a 2013 com os arrendamentos a rondarem os 97 mil euros. 

O preço médio de arrendamento em 2014 alcançou os 2150 euros mensais, um aumento de 35% em relação ao ano anterior.

Segundo Ignacio Fiter, Diretor de Expansão Ibérica desta rede imobiliária de luxo, estes valores vêm confirmar as previsões iniciais. «Em 2014, o mercado português desenvolveu-se ativamente. A nível geral, registou-se um incremento das vendas e da concessão de créditos, o que significa que as pessoas começam a deixar de ter medo de comprar imóveis», afirma este responsável.

Ao nível da Península Ibérica, a Engel & Völkers registou uma subida de 75% no número de transações e de 54% no volume de vendas, face ao ano anterior.

«Portugal está na moda» para investidores estrangeiros. Os bons resultados alcançados em Portugal motivam o alargamento da rede e a atração de novos franchisados. Em 2015, a marca continua a apostar num plano de expansão que prevê abranger todo o país. Atualmente, estão disponíveis licenças para Aveiro, Braga, Coimbra, Lagos, Oeiras, Portimão e Vilamoura.

Para a localização das lojas a marca privilegia locais com um mercado interessante e com potencial – não só zonas turísticas junto à costa, mas também cidades grandes e médias, para o mercado local. O objetivo é posicionar a marca como uma referência nacional no setor da mediação imobiliária no segmento alto, com um portefólio adequado a cada área geográfica, com os imóveis de melhor qualidade de cada zona do país.

Atualmente, a Engel & Völkers emprega em Portugal cerca de 50 pessoas, número que prevê aumentar em 2015, fruto da abertura de novas lojas e, consequentemente, da criação de novos postos de trabalho. Neste momento, existem potenciais franchisados em análise – a Engel & Volkers é especialmente rigorosa na seleção dos seus parceiros, feita com base na análise do perfil dos candidatos. O sistema de licenças daEngel & Völkers já conquistou empreendedores e empresários autónomos em 38 países de todos os continentes e mais de 550 lojas em todo o mundo.

«Confiamos muito no desenvolvimento do mercado imobiliário em Portugal. É um país que está na moda», afirma o Diretor de Expansão Ibérica da Engel & Völkers. Segundo Ignacio Fiter, Portugal atrai cada vez mais estrangeiros que veem no setor imobiliário, e no segmento de luxo em especial, um investimento seguro e com uma possibilidade de retorno elevada. Na grande maioria, compram para arrendar mas também para valorizar.

No geral, os principais clientes da Engel & Völkers são particulares que procuram, sobretudo, moradias de áreas amplas para segunda residência e/ou de férias em condomínios com piscinas, apartamentos modernos, de qualidade, com preços médios de cerca de um milhão de euros.

A procura incide especialmente em localizações premium e perto do mar, como são exemplo Cascais e Estoril, mas também, e cada vez mais, nas zonas urbanas desenvolvidas, como o Parque das Nações e o centro de Lisboa, em particular as zonas ribeirinhas e o Chiado. No Algarve, a procura é mais incidente na época de férias, especialmente no que se refere aos arrendamentos – e em maioria para público estrangeiro.

Recorde-se que a Engel & Völkers está presente em Portugal desde 2006 com um abrangente portefólio de prestígio e de referência no setor imobiliário de luxo, que engloba desde residências históricas a modernos projetos de arquitetura – e da mais alta exclusividade, se olharmos para o portefólio internacional da marca, onde se incluem, por exemplo alguns dos castelos mais bonitos da Europa.

Fonte: Engel & Völkers