terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

O imobiliário português afirma-se no estrangeiro

Consolidando a frente de desenvolvimento da nossa Economia que tem sido assumida pelo imobiliário português, o Salão Imobiliário de Portugal, o maior evento do sector no nosso país, a cuja Comissão Estratégica volto a presidir na edição de 2015, continua empenhado na internacionalização e na promoção além fronteiras do destino Portugal.

O SIL 2015, cumprindo a estratégia de internacionalização da Fundação AIP que o dinamiza através da AIP – Feiras, Congressos e Eventos, tem vindo a crescer, refletindo o próprio crescimento do sector, não só em expositores, em visitantes e no número de participantes dos ventos paralelos, mas também pela crescente presença de investidores estrangeiros.

Esta realidade justifica que o SIL regresse, no corrente ano, a Shangai, a Maputo, a Benguela e a Paris e que vá, pela primeira vez a Lyon e S. Paulo, com o apoio da APEMIP e das Câmaras de Comércio e Indústria Franco Portuguesa e Luso-Chinesa, num calendário de consolidação do imobiliário português no estrangeiro.

Já no corrente mês, o SIL irá estar na quarta edição da Tektónica em Maputo, e em Março na 13ª edição da Shanghai Overseas Property & Investment Immigration Show. Na edição anterior deste importante salão asiático, o imobiliário português marcou uma presença muito significativa que se traduziu numa visibilidade que importa consolidar.

Hoje, e cada vez mais, o SIL é uma marca vocacionada para promover a internacionalização do imobiliário português, seja em economias emergentes como é o caso da República Popular da China, seja noutros mercados, mais ou menos tradicionais, da lusofonia ou de outras localizações geográficas.

Portugal enquanto país reconhecidamente acolhedor e com uma oferta imobiliária de qualidade é destino de excelência para bons e seguros investimentos e até para poupanças que visam rendimentos suplementares. Isso é reconhecido em paragens longínquas, mas também em geografias próximas, quer pela distância, quer pelos laços comuns, como o da língua.

A França aqui tão perto, com uma comunidade de origem portuguesa fortíssima e com muitos franceses a descobrir que Portugal é dos países da União Europeia um dos que mais conserva a sua identidade tão específica e sedutora, a França tem vindo a deslumbrar-se com o nosso país.

O Salão do Imobiliário e de Turismo Português em Paris, este ano em quarta edição, e o primeiro Salão do Imobiliário e de Turismo Português em Lyon, outra das grandes cidades francesas, são prova mais do que eloquente do crescente interesse que suscitamos junto dos investidores franceses.

E na França, apesar da língua ser diferente, estamos quase tão irmanados como relativamente ao Brasil, onde o SIL irá em missão empresarial em Setembro, nas vésperas do próprio SIL, ou relativamente a Angola onde estaremos em Salões em Luanda e em Benguela, neste caso em Maio.

2015 vai ser, tudo o indica, um ano para a consolidação da internacionalização do imobiliário português, sector que, finalmente, começa a poder candidatar-se aos apoios comunitários para a internacionalização do chamado Horizonte 2020. Uma boa notícia para o sector.

Luís Lima
Presidente da CIMLOP

Fonte: Apemip