segunda-feira, 30 de março de 2015

Construção nova representa o dobro da reabilitação

Quem passa no centro de Lisboa ou do Porto não pode deixar de reparar na quantidade de edifícios que estão a surgir de cara lavada. A reabilitação está na ordem do dia para o sector da construção, o mais martirizado de toda a economia nacional, com a crise económica que teve início em 2008.

Mas se é um facto que a reabilitação se tornou uma lufada de ar fresco para a revitalização urbanística e essencial para a sobrevivência de muitas construtoras (e empresas da fileira), a realidade é que continua ainda muito aquém da média europeia.

Continuar a ler...

Fonte: Expresso