segunda-feira, 27 de abril de 2015

Câmara de Oeiras diz que plano para a Cruz Quebrada não aumenta risco de cheias

O plano que contempla a construção de cinco torres – uma delas com 20 pisos -, uma marina e uma piscina oceânica na margem direita da foz do rio Jamor, na Cruz Quebrada, concelho de Oeiras, continua a gerar polémica. Os opositores avisam que o projecto, designado Porto Cruz, vai aumentar o risco de cheias na zona mas a autarquia garante que a área permeável será maior do que a actual e que serão tomadas medidas para minimizar o risco de inundações.

O plano de pormenor, que abrange uma área de 26,7 hectares na qual se incluem os terrenos da antiga fábrica de telhas de fibrocimento da Lusalite, encaixados entre a Avenida Marginal e o rio Tejo, foi aprovado há um ano pela Assembleia Municipal de Oeiras, depois de mais de uma década de discussão.

Continuar a ler...

Fonte: Público