quarta-feira, 29 de abril de 2015

Saber reabilitar para a cidadania

Sempre defendi a Reabilitação Urbana, quando assumida nas cidades, como uma solução para manter as rotinas mínimas de fruição da cidadania. Ninguém realmente vive, com tudo o que a vida implica, do trabalho aos tempos livres, numa cidade degradada no plano urbanístico, ou seja, numa cidade decadente que gera vidas degradadas e degradantes.

Mas a obrigação que temos de reconstruir as nossas cidades, em especial as cidades onde gostamos de viver, implica a adopção de uma série de preocupações de sustentabilidade, desde logo inerente à nossa consciência de cidadãos - também digo que não somos suficientemente ricos para podermos dar-nos ao luxo de deixar degradar a enorme riqueza patrimonial que fomos construindo ao longo do tempo.