terça-feira, 26 de maio de 2015

Mercado Habitacional: Baixa e Parque das Nações têm as rendas mais altas de Lisboa

As zonas da Baixa e do Parque das Nações registam as rendas médias contratadas mais elevadas da cidade de Lisboa, com valores de 10 euros/mô e 10,7 euros/mô, respetivamente. Os dados são revelados pela Confidencial Imobiliário, no âmbito do SIR-Sistema de Informação Residencial e dizem respeito ao período compreendido entre o 4º trimestre de 2013 e o 3º trimestre de 2014. Estes valores estão acima da renda média contratada para o total do mercado de Lisboa (cidade), fixada em 8 euros/m2.

Ainda acima da média do mercado de Lisboa estão também as zonas do Chiado e Santos, onde as rendas contratadas entre proprietários e inquilinos registadas pela pool de empresas que integra o SIR se fixaram em, respetivamente, 9,2 euros/mô e 9,1 euros/m2.

Já em termos de tempos de absorção – i.e., do tempo que decorre entre o momento em que uma casa é colocada no mercado e o seu arrendamento efetivo -, as casas na Baixa de Lisboa demoraram, no período em análise, cerca de sete meses a serem arrendadas, enquanto que no Parque das Nações e em Santos esse tempo é de entre 4 a 5 meses. A média do mercado de Lisboa é de 4 meses.

De acordo com a Confidencial Imobiliário, no período entre o 4º trimestre de 2013 e o 3º trimestre de 2014, as empresas que integram o SIR realizaram 2.687 contratos de arrendamento habitacional na cidade de Lisboa, com a renda média contratada a atingir os 8 euros/m2. Este valor está, ainda assim, 9,6% abaixo da renda média a que os imóveis foram colocados em oferta neste mercado.

Na Área Metropolitana de Lisboa (AM Lisboa), a renda média contratada foi de 6,3 euros/m2, para um total de 6.966 contratos de arrendamento realizados no período já referido. A nível metropolitano, o diferencial entre as rendas contratadas e as rendas de oferta foi de -7,1%, o que significa que a renda contratada, em média, na AM Lisboa esteve cerca de 7,1% abaixo da renda, em média, pedida inicialmente. O tempo médio de absorção a nível metropolitano é de 4 meses.

Fonte: Ci