quarta-feira, 3 de junho de 2015

Preços das casas deverão aumentar 2% no espaço de um ano

Os preços das casas em Portugal continuam a recuperar de forma gradual num cenário marcado pelo crescimento na atividade de venda e a intensificação do nível de confiança dos agentes do setor, revela o RICS/ Ci Portuguese Housing Market Survey (PHMS) de abril de 2015. Com base nestas melhorias, as perspetivas quer a curto-prazo quer a médio-prazo, são bastante otimistas, com os inquiridos a preverem um crescimento no preço das casas de 2% nos próximos 12 meses e de 4,5% por ano nos próximos 5 anos.

Em termos regionais, as expectativas para os próximos doze meses apontam para um crescimento transversal a todas as áreas abrangidas pelo RICS/ Ci PHMS, antecipando-se os ganhos mais fortes para a região do Algarve (3%), seguida de Lisboa (2,5%), enquanto o Porto recuou para projeções mais modestas (cerca de 1%).

De acordo com este inquérito, no que toca ao mercado de compra e venda, as instruções de compra voltaram a aumentar em abril, numa trajetória de crescimento ininterrupto da procura que remonta já a agosto de 2013. Simultaneamente, as vendas acordadas cresceram pelo 14º mês sucessivo, a um ritmo muito idêntico ao verificado no mês anterior. Destaque ainda para a região do Algarve, que no período em análise registou um crescimento especialmente acentuado nas vendas acordadas. E, também em termos de vendas, os inquiridos continuam a antecipar uma aceleração do crescimento para os próximos meses.

A melhoria dos fundamentais do mercado continua a suportar a recuperação em curso dos preços das casas, que têm sido reportados em alta (embora a um ritmo moderado) em cada um dos quatro últimos inquéritos.

Ricardo Guimarães, Diretor da Ci, comenta: “As recentes estatísticas mostram que os novos empréstimos para aquisição de habitação aumentaram 20% ao longo da segunda metade de 2014. O que naturalmente foi sentido pelos agentes, sendo que os seus comentários sugerem que este é o principal fator que está a mudar o mercado uma vez que os bancos estão gradualmente a intensificar a sua atividade junto deste mercado”.

Já Simon Rubinsohn Economista Sénior do RICS, observa: “Os dados do PIB recentemente divulgados são encorajadores, confirmando que a recuperação da economia continua a seguir a sua rota. Ainda assim, é necessária a continuação das melhorias neste âmbito para apoiar a recuperação do mercado residencial, que permanece numa fase embrionária”.

No setor do arrendamento, a procura conduzida pelos inquilinos aumentou ligeiramente ao mesmo tempo que se voltou a assistir a uma queda significativa no que toca a novas instruções pelos senhorios. Embora as rendas se tenham mantido praticamente inalteradas durante o mês em análise, as expetativas apontam agora para um crescimento marginal no curto prazo.

Fonte: Ci