quarta-feira, 15 de julho de 2015

41% preferem comer em centros comerciais

Os centros comerciais na região da Europa, Médio Oriente e África (EMEA) são o destino preferido para comer e beber, de acordo com o estudo de Comida e Bebida em Centros Comerciais da CBRE.

As respostas dos 22.000 consumidores inquiridos nos 22 países na EMEA dão a conhecer que 41% preferem comer em centros comerciais, comparado com apenas 10% em restaurantes e cafés na cidade, e somente 7% em retail parks.

Um terço dos entrevistados visitou centros comerciais com a única intenção de comer ou beber.

Quatro entre 10 pessoas acabaram por fazer compras, mesmo que a razão inicial da visita tenha sido somente a de fazer uma refeição.

90% dos inquiridos nos Emirados Árabes Unidos e 86% na África do Sul classificaram como importante a disponibilidade de comida e bebida e mais de metade (57% nos EAU e 65% na África do Sul) acaba quase sempre por visitar lojas quando vão comer ou beber a um centro comercial. Pouco atrás dos EAU e da África do Sul estão as tendências dos consumidores no Reino Unido – 65% classificam a disponibilidade de comida e bebida como importante, e pouco menos de metade (47%) acaba por visitar lojas após a refeição.

Andrew Phipps, Diretor da divisão de Retail Research and Consulting da CBRE, EMEA referiu: “É óbvio que a presença de uma oferta atraente de comida e bebida é um argumento chave para aumentar o footfall e as receitas nos centros comerciais. Os dias em que uma oferta limitada ao nível da restauração ou um pequeno e banal foodcourt eram razões suficientes para justificar uma visita já acabaram. Atualmente, as áreas de restauração são um argumento chamativo só por si, e o convite de uma experiência de comida e bebida bem concebida e com uma excelente apresentação é algo que convence os consumidores”.

Segundo Carlos Récio, Diretor de Agência de Comércio da CBRE, “este estudo dá-nos uma perceção de que fazer uma refeição num centro comercial pode ser uma experiência agradável, onde as marcas apostam cada vez mais em conceitos inovadores e modernos e os proprietários e gestores dos centros comercias têm em conta as necessidades dos clientes, garantindo o seu conforto e satisfação”.

Fonte: CBRE