sexta-feira, 27 de novembro de 2015

CBRE com forte crescimento no terceiro trimestre de 2015

O grupo CBRE anunciou um forte crescimento das receitas e lucros no terceiro trimestre de 2015, com as receitas a aumentarem 14% e EBITDA a crescer 18%.

As receitas do trimestre totalizaram $2.700 milhões, um acréscimo de 19% (26% em moeda local). As receitas líquidas de recuperação de custos aumentaram 14% (21% em moeda local) para $1.900 milhões.

O terceiro trimestre de 2015 incluiu receitas de aproximadamente $237 milhões resultantes da aquisição do negócio da Global Workplace Solutions à Johnson Controls, concluído a 1 de Setembro de 2015. Excluindo este negócio, as receitas aumentaram 9% (16% em moeda local).

Em U.S. GAAP, o lucro líquido aumentou 39% para $149,1 milhões, tendo este lucro por ação registado um acréscimo de 38% para $0,44.

O lucro líquido ajustado3 subiu 30% para $171,7 milhões, enquanto o lucro ajustado por ação3 aumentou 28% para $0,51. Os ajustamentos efetuados no terceiro trimestre de 2015 totalizaram $22,6 milhões, tendo incluído a integração e outros custos relacionados com a aquisição da Global Workplace Solutions. 

O EBITDA4 normalizado aumentou 18% para $344,6 milhões, tendo o EBITDA4 subido 12% para $326,6 milhões. A margem do EBITDA normalizado em receitas líquidas de recuperação de custos foi de 17,8%, um aumento da ordem dos 60 pontos base comparativamente com igual período do ano anterior.

A conversão em moeda estrangeira, após o efeito de cobertura, reduziu o EBITDA em cerca $16,9 milhões (ou $0,03 por ação, líquidos de impostos) face ao terceiro trimestre do ano anterior.

“O terceiro trimestre foi um período ativo para a CBRE,” afirmou Bob Sulentic, presidente e CEO da CBRE. “Continuámos a registar um crescimento de dois dígitos nos resultados iniciais e finais, com a intensificação generalizada da nossa atividade a nível mundial. Paralelamente, concluímos a nossa maior aquisição em quase uma década – o negócio da Global Workplace Solutions da Johnson Controls. Continuámos também a realizar ganhos através de investimentos em iniciativas que contribuem para os excelentes resultados que proporcionamos aos clientes e que constituem fatores de crescimento.”

Os três negócios regionais da CBRE registaram aumentos de receita significativos, apesar do impacto da conversão em moeda estrangeira, que moderou as taxas de crescimento fora dos E.U.A. O crescimento foi particularmente significativo na região EMEA (Europa, Médio Oriente e África), onde as receitas subiram 28% (42% em moeda local). Este aumento foi impulsionado pelos sólidos ganhos obtidos na região, incluindo França, Alemanha, Holanda, Espanha, Suíça e Reino Unido. A Ásia-Pacífico apresentou um acréscimo das receitas de 12% (29% em moeda local) – liderado pela Austrália, China e India. Nas Américas, a maior região da CBRE, as receitas atingiram um crescimento de dois dígitos – 17% (19% em moeda local).

Entre os fortes fluxos de capitais direcionados para o imobiliário comercial, o negócio de investimento da CBRE continuou a registar um desempenho excelente. As vendas de imóveis aumentaram significativamente em todas as regiões, com receitas globais de mais 11% (19% em moeda local), tendo os serviços de hipotecas comerciais, um negócio predominantemente americano, apresentado uma melhoria das receitas de 32% (33% em moeda local).

O arrendamento global manteve-se também sólido, embora as moedas estrangeiras fracas tenham condicionado o crescimento. Em moeda local, as receitas de arrendamento subiram 12% com forte crescimento na Austrália, França, China e Índia. Após conversão em dólares americanos, a taxa de crescimento das receitas de arrendamento global foi de 6%. Nos Estados Unidos, apesar de um ligeiro abrandamento, a taxa de crescimento, manteve-se forte, atingindo 9%.

As receitas provenientes do negócio de outsourcing (excluindo as receitas de transacções relacionadas, contabilizadas em receitas de vendas e arrendamentos) melhoraram 42% (49% em moeda local), ao passo que as receitas líquidas de recuperação de custos (excluindo as de operações relacionadas) aumentaram 45% (53% em moeda local). Os aumentos incluíram o contributo de um mês da aquisição do negócio da Global Workplace Solutions. Excluindo este negócio, as receitas de outsourcing (excluindo a recita de transacções relacionadas) aumentaram 8% (15% em moeda local) tendo as receitas líquidas de recuperação de custos registado um acréscimo de 6% (14% em moeda local).

As receitas de avaliações subiram 4% (14% em moeda local), o que reflete um maior volume da atividade de avaliação e consultoria.

A gestão de fundos de investimentos registou igualmente um bom desempenho no trimestre, com um acréscimo de 9% (19% em moeda local) nas receitas e um aumento de 48% no EBITDA normalizado.

Atualização da Aquisição do Negócio da Global Workplace Solutions. A integração do negócio da Global Workplace Solutions prossegue de acordo com o esperado, sendo expectável:
Um aumento de um dígito médio para um dígito de topo do lucro ajustado por ação em 2016.
Um contributo de $0,03 para $0,04 para o lucro ajustado por ação nos últimos quatro meses de 2015. O quarto trimestre do ano é tipicamente um período sazonalmente mais lento para o negócio da Global Workplace Solutions, pelo facto de o respetivo ano fiscal anterior ter terminado a 30 de Setembro. Assim sendo, o aumento referente aos últimos quatro meses de 2015 não é indicativo da taxa de execução mais elevada prevista para 2016.

Resultados do Terceiro Trimestre de 2015 por Segmentos

1. Região das Américas (E.U.A, Canadá e América Latina)
As receitas aumentaram 17% (19% em moeda local) para $1.600 milhões. As receitas líquidas de recuperação de custos subiram 16% (18% em moeda local) para $1.100 milhões. Excluindo a aquisição do negócio da Global Workplace Solutions, as receitas aumentaram 11% (13% em moeda local).
 
O EBITDA normalizado aumentou 16% para $218,1 milhões, tendo o EBITDA subido 9% para $203,6 milhões. O lucro operacional aumentou 10% para $150,3 milhões.

2. Região EMEA (principalmente Europa)
As receitas subiram 28% (42% em moeda local) para $737,9 milhões. As receitas líquidas de recuperação de custos aumentaram 16% (29% em moeda local) para $458,0 milhões. As receitas da região registaram um crescimento generalizado, com fortes aumentos mesmo após os efeitos cambiais negativos. Excluída a aquisição do negócio da Global Workplace Solutions, as receitas subiram 7% (20% em moeda local).
O EBITDA normalizado aumentou 51% para $56,7 milhões tendo o EBITDA subido 49% para $55,8 milhões.
O lucro operacional aumentou 96% para $39,6 milhões.

3. Região da Ásia- Pacífico (Ásia, Austrália e Nova Zelândia)
As receitas aumentaram 12% (29% em moeda local) para $285,3 milhões. As receitas líquidas de recuperação de custos subiram 5% (22% em moeda local) para $215,3 milhões. Excluindo a aquisição do negócio da Global Workplace Solutions, as receitas aumentaram 2% (18% em moeda local).
O EBITDA normalizado aumentou 28% para $29,2 milhões tendo o EBITDA subido 22% para $27,7 milhões.
O lucro operacional aumentou 29% para $24,0 milhões.

Gestão de Fundos de Investimento (operações de gestão de fundos nos E.U.A., Europa e Ásia-Pacífico)
As receitas subiram 9% (19% em moeda local) para $114,1 milhões, largamente impulsionadas pelo maior rendimento resultante da alienação de imóveis.
O EBITDA normalizado aumentou 48% para $30,2 milhões, tendo o EBITDA subido 37% para $29,0 milhões.
O lucro operacional aumentou 53% para $24,2 milhões.
Os Ativos Sob Gestão (ASG) totalizaram $86.000 milhões. Comparativamente com o terceiro trimestre de 2014, o ASG teve um aumento de $1.600 milhões, embora registasse um decréscimo quando convertido em dólares americanos.

Serviços de Promoção Imobiliária (atividades de promoção e investimento imobiliários principalmente nos E.U.A.). As receitas subiram 17% para $18,6 milhões. O EBITDA baixou para $10,5 milhões. O lucro operacional aumentou mais de 130% para $2,0 milhões. Os projetos de promoção imobiliária em curso totalizaram $6.700 milhões, uma subida de $1.300 milhões desde o final de 2014. O inventário de projetos em pipeline totalizou $4.000 milhões, um valor sem alteração desde o final de 2014, devido à evolução destes projectos para a fase de execução. 

Resultados dos Nove Meses. As receitas dos nove meses findos a 30 de Setembro de 2015 totalizaram $7.200 milhões, um acréscimo de 14% (21% em moeda local). As receitas líquidas de recuperação de custos aumentaram 12% (19% em moeda local) para $5.200 milhões. Excluindo a aquisição da Global Workplace Solutions, tanto as receitas como as receitas líquidas de recuperação de custos aumentaram 10% (17% em moeda local).
Em U.S. GAAP, o lucro líquido aumentou 31% para $367,1 milhões, tendo o lucro por ação subido 30% para $1,09.
O lucro líquido ajustado aumentou 25% para $417,7 milhões, tendo o lucro ajustado por ação registado um acréscimo de 24% para $1,24. Nos nove meses findos a 30 de Setembro de 2015, os ajustamentos totalizaram $50,6 milhões, incluindo a integração e outros custos relacionados com a aquisição da Global Workplace Solutions.
O EBITDA normalizado aumentou 19% para $895,1 milhões, tendo o EBITDA subido 16% para $869,7 milhões.
A conversão em moeda estrangeira, após o efeito de cobertura, reduziu o EBITDA em cerca de $31,0 milhões (ou $0,06 por ação, líquidos de impostos) face ao período homólogo do ano anterior. Antes dos efeitos cambiais negativos, o lucro ajustado por ação teria aumentado 30%.

Perspetivas de Negócio. “No início do quarto trimestre, 2015 perspetiva-se claramente como mais um ano excecional para a CBRE,” afirmou o Bob Sulentic. “As medidas que adotámos para reforçar os talentos da nossa equipa, alargar a nossa oferta de serviços, fortalecer a nossa plataforma operacional, em particular os dados e tecnologia, e solidificar a nossa posição financeira estão a produzir resultados muito positivos para os nossos clientes e acionistas.”

A CBRE está consciente dos desafios que a economia global enfrenta. No entanto, tendo em conta o seu desempenho durante o terceiro trimestre do ano e o seu dinamismo estratégico e financeiro, a empresa prevê que em 2015 o lucro ajustado por ação se situe no intervalo de $2,00 - $2,05, o que traduz um aumento de $0,10 face à sua previsão inicial. A nova previsão implica um crescimento homólogo de 20% do lucro ajustado por ação.

Fonte: CBRE