sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Construção e comercialização de edifícios de habitação dispara em 2015

Lisboa, e o seu centro histórico, possuem hoje uma dinâmica de reabilitação de edifícios nunca antes vista. A procura do turismo residencial é cada vez maior, sendo que muitos edifícios com projetos de habitação destinam-se ao arrendamento de curta duração. É neste contexto que a CBRE divulga o seu mais recente estudo de mercado - Lisbon Residential Brick Index - com foco na construção e comercialização de edifícios de habitação em Lisboa.

O nível de preços no setor imobiliário em Lisboa já remete ao período pré-crise para produtos premium, mas com uma oferta de imóveis muito superior para este segmento.

A melhoria da situação económica no país, aliada ao turismo e aos incentivos concedidos à reabilitação urbana e investimento estrangeiro, conduziram naturalmente à subida destes valores.

O centro histórico de Lisboa concentra o maior número de edifícios em reabilitação, onde zonas como a Avenida da Liberdade, Príncipe Real, Chiado, Bairro Alto e São Paulo são as mais valorizadas. Dos edifícios que ainda estão em construção, atualmente o preço médio de comercialização chega aos 5 500 €/m², valor que já é 10% superior face aos que já foram concluídos e vendidos em 2015.

A CBRE estima que durante o ano de 2015 foram concluídos 40 edifícios de habitação, o que significa um acréscimo de 69% na oferta da cidade de Lisboa, com mais 524 fogos.

Ainda que maioritariamente português, o perfil do comprador possui uma fatia de aproximadamente 20% de estrangeiros, sendo que ambos compram quer para utilização própria como para investimento, neste ultimo caso para colocação no mercado de arrendamento de curta duração.

Para Cristina Arouca, Diretora de Research e Consultoria da CBRE, “O conhecimento em tempo útil do que se está a verificar no mercado da promoção residencial da cidade tornou-se essencial numa altura em que a CBRE decidiu relançar o Departamento de Residencial.”



Acrescenta ainda “A tendência dos próximos anos será o aumento do número de edifícios reabilitados no centro de Lisboa, com destaque para a Avenida da Liberdade e Cais do Sodré, que renascem como zonas residenciais. Os imóveis com cachet estão a popularizar-se e, com a subida de preços e aumento da procura de imóveis em Lisboa, resta-nos aguardar uma possível estabilização no segmento alto do mercado em 2016”.

Fonte: CBRE