quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Fundos imobiliários gerem menos €64,8M em janeiro de perdas

Em janeiro de 2016, o valor sob gestão dos fundos de investimento imobiliário (FII), dos fundos especiais de investimento imobiliário (FEII) e dos fundos de gestão de património imobiliário (FUNGEPI) situou-se em 11.145,2 milhões de euros, menos 64,8 milhões de euros (0,6%) do que em dezembro do ano passado.

O montante sob gestão desceu em todos os segmentos. Nos fundos de investimento imobiliário caiu 0,2% para 7.948,2 milhões de euros, nos fundos especiais de investimento imobiliário 0,7% para 2.610,4 milhões de euros, e nos FUNGEPI 4,3% para 586,6 milhões de euros. Os países da União Europeia continuam a ser o principal destino dos investimentos em ativos imobiliários, representando 100% do total aplicado. Os imóveis destinados ao setor dos serviços foram o principal alvo das aplicações dos FII e FEII abertos, com um peso de 47,0% nas carteiras.


Os investimentos realizados pelos FUNGEPI destinaram-se sobretudo ao setor do comércio (34,3% do total).

A Interfundos (12,9%), a Fundger (11,6%) e a Norfin (9,2%) têm as quotas de mercado mais elevadas. O valor do fundo “Fundimo”, que detém o montante sob gestão mais elevado do mercado, desceu 0,1% face ao mês anterior para 597,0 milhões de euros, seguido do “Novimovest”, que aumentou 0,3% para 326,0 milhões de euros, e do “Fimes Oriente”, que ficou praticamente inalterado em 321,9 milhões de euros.

Em janeiro foram liquidados dois fundos de investimento imobiliário: o “Fundo de Investimento Imobiliário Fechado Praça Maior”, gerido pela GEF, e o “Castilho – Fundo de Investimento Imobiliário Fechado”, gerido pela Santander AM.


Fonte: CMVM