terça-feira, 22 de março de 2016

Exemplar

Tive o prazer de assistir à inauguração, na véspera da abertura ao público, do Centro Comercial Nova Arcada, em Braga. Fui convidado pelo Dr Cabral dos Santos, administrador da Caixa Geral de Depósitos com o pelouro do sector imobiliário e uma das pessoas que pode chamar a si os louros deste exemplar caso de sucesso materializado numa nova oportunidade para um ativo imobiliário que estaria condenado a pesar negativamente na principal instituição bancária comercial de Portugal se não tivesse nova oportunidade.

É bem verdade que o banco público que é a Caixa Geral de Depósitos está optimista e empenhado num bom 2016 como ano imobiliário. Ouvi, ainda em 2015, o próprio Dr Cabral dos Santos referir estas intenções ao discursar no relançamento de um outro grande projecto imobiliário residencial em que a CGD igualmente aposta. Uma linha de força que tenho de aplaudir e que sai reforçada com o lançamento do Centro Comercial Nova Arcada, em Braga.

Um centro que tem sido notícia pela aposta que nela faz o IKEA, a abrir aí uma nova loja em Portugal, mas que merece que se lhe tire o chapéu pelo feito que é oferecer 68.500 m2 de Área Bruta Locável em 109 lojas o que permite a criação direta de 2000 postos de trabalho. Fruto de um investimento de 160 milhões de euros já justificado pela taxa de ocupação de 96% e pela inequívoca dinamização da economia local, pela via do reforço da oferta comercial e de entretenimento.

Além da grande e mediática âncora que é uma loja IKEA, o Centro Comercial Nova Arcada abre com vinte restaurantes, um Health Club, um parque infantil e dezenas de outras lojas muitas das quais marcas de renome mas também pequenas e médias empresas da cidade e da região a enriquecer a oferta do retalho e do lazer em Braga e a reafirmar esta cidade como um polo de atração que se estende a Espanha, como aliás foi salientada na dia da inauguração.

Isto sem esquecer as 12 novas salas de cinema, a abrir em Agosto, outra âncora para um espaço que realmente pode ostentar a denominação “Nova Arcada” por analogia à Praça da República bracarense, no centro histórico da cidade, conhecida pelo nome de Arcada – hoje, os bons grandes centros comerciais são as novas praças públicas.

Que exemplar desempenho este da CGD na nossa recuperação.

Luís Lima

Fonte: Apemip