segunda-feira, 7 de março de 2016

Lisboa "abre" mais de 20 hoteis em 2015

2015 foi um ano histórico para o investimento no mercado do turismo e para a hotelaria portuguesa, resultado do crescimento das dormidas e do aumento dos preços médios por quarto.

Segundo a mais recente Análise do Mercado Imobiliário em Portugal da CBRE, o número total de dormidas em Portugal atingiu um novo recorde de 48,9 milhões em 2015, registando um crescimento de 6,7% face ao período homólogo do ano anterior.

O bom desempenho do setor hoteleiro refletiu-se igualmente num total de 1.780 milhões de euros de proveitos de aposento, o que representa um acréscimo de 15%, face ao período homólogo, ou seja, uma variação superior à verificada nas dormidas.


O Algarve continuou a liderar o número de dormidas, seguido da região de Lisboa, com uma contribuição de 35% e 25% respetivamente. Contudo, os Açores registaram o acréscimo mais significativo com um aumento de 20% nas dormidas. Este bom desempenho foi suportado, na sua grande maioria, pela introdução de novas rotas aéreas, eventos internacionais e melhoria da imagem e valorização da marca Portugal e, particularmente, de Lisboa no contexto internacional.

Em setembro de 2015, a capital havia já registado 7 milhões de dormidas, apresentando um crescimento de 8,4% face ao mesmo período de 2014. A CBRE contabilizou a entrada de 21 hotéis em Lisboa em 2015, três vezes mais aberturas que no ano anterior.

Cristina Arouca, diretora de Research e Consultoria da CBRE, comenta “o contínuo dinamismo do setor do turismo potencializa a atratividade de Lisboa, atraindo novos operadores e incentivando outros à expansão. É, por isso, esperado um aumento do investimento no setor hoteleiro, quer pelo desenvolvimento de novas unidades, quer pela aquisição de outras já existentes.”

Por sua vez, Eduardo Abreu, partner da neoturis, empresa participada pela CBRE, afirma “O bom momento do turismo nacional é uma oportunidade singular para posicionar o destino como a "must see destination", fidelizar a procura e colocar Portugal no radar dos principais investidores e gestores da cadeia de valor do setor.”

O crescimento observado nos Açores resulta da liberalização do espaço aéreo entre o Arquipélago e o Continente, que se refletiu num crescimento de 30% do tráfego de passageiros no aeroporto de Ponta Delgada face ao mesmo período de 2014. A região Norte registou um crescimento de 14% no número de dormidas, com o aeroporto Francisco Sá Carneiro a movimentar mais de três mil milhões de passageiros internacionais, evidenciando os resultados da promoção do destino e da captação de novas rotas e ligações aéreas.

Portugal continua a evidenciar um aumento da procura por parte de mercados já tradicionalmente relevantes, como o britânico com uma quota de 17%, seguido do alemão com 10% e do espanhol e francês, ambos com 7%. Os turistas vindos da Alemanha e França registaram este ano um crescimento significativo no número de dormidas de 11%.

No último ano registou-se um aumento nas transações de hotéis tanto por parte de investidores como de operadores, os quais, face ao desempenho bastante positivo têm apostado no seu posicionamento e expansão. Prevê-se que cadeias hoteleiras como o Porto Bay e Turim devam abrir novas unidades no próximo ano.

O ritmo de promoção de novos hotéis, em particular de cadeias nacionais e internacionais, deverá manter-se elevado em Lisboa, estando atualmente em construção ou em fase de projeto um total de 40 novas unidades, cuja inauguração está prevista para 2016/2017. Acrescem um número significativo de projetos destinados a alojamento local, que hoje já representa uma parte importante da oferta. Também o Porto manterá um ritmo de crescimento da oferta e procura significativo, com a inauguração de algumas unidades de referência nos próximos dois anos.

Fonte: CBRE