segunda-feira, 7 de março de 2016

Perspetivas de aumento nas rendas e valorização de capital no mercado imobiliário português

O Índice do Imobiliário Comercial Global do RICS monitoriza, trimestralmente, as tendências do mercado imobiliário comercial, na ótica de investidores e ocupantes, através de questionários enviados a cerca de 1300 empresas a nível mundial.

A sua mais recente publicação, relativa ao último trimestre de 2015, destaca o mercado imobiliário português que denota sinais de forte melhoria, graças à recuperação económica, aumento do consumo interno, e redução da taxa de desemprego.

Noventa por cento dos inquiridos consideram ter havido uma melhoria no acesso ao crédito.

No último trimestre do ano de 2015, constituindo um sinal positivo para o mercado de transações imobiliárias, considerando que a escassez de financiamento tem sido um dos fatores mais limitativos nos últimos anos, do crescimento do setor imobiliário em Portugal.

Na análise feita ao segmento dos ocupantes de imobiliário comercial, destacam-se algumas conclusões:
  • O Índice de Confiança dos Ocupantes registou um saldo positivo de 34 p.p.;
  • O nível de procura aumentou consideravelmente nos segmentos de escritórios e retalho, enquanto que o setor industrial não registou oscilações; em consequência, as vacancy rates decresceram, à exceção do segmento industrial que estagnou;
  • O valor dos incentivos atribuídos pelos proprietários decresceu no decorrer deste último trimestre;
  • Prevê-se que nos próximos 12 meses todos os segmentos do imobiliário comercial registem um gradual aumento das rendas, mais uma vez com exceção do setor industrial no qual se espera um aumento mais modesto.
Contudo, denotou-se um claro “arrefecimento” da confiança dos ocupantes no último trimestre de 2015, invertendo, assim um crescimento muito acentuado, verificado desde o inicio de 2014.

No segmento do investimento imobiliário comercial, não só se registou um decréscimo muito acentuado da confiança dos operadores, como se regressou a valores do início de 2014, tendo-se revertido uma situação que se julgava de alguma forma consolidada. Esta situação, poderá ter que ver com a instabilidade politica em Portugal e alguma indefinição sobre as grandes linhas económicas e financeiras para o país para os próximos tempos.

O Índice de Confiança dos Investidores situa-se agora nos 27 p.p. face aos 48 p.p. anteriormente registados.

Apesar do decréscimo anteriormente referido, no que diz respeito ao índice de confiança dos investidores, a procura de ativos para investimento aumentou com especial enfoque na área de escritórios. Esta tendência espelha o que tem acontecido no mercado imobiliário português.

Destacam-se ainda o aumento ligeiro de oferta de produto em todos os segmentos, no último trimestre, bem como as perspetivas de valorização de capital, que se mantêm positivas no imobiliário comercial, tendo o retalho registado as taxas mais elevadas de retorno.

Eric van Leuven, Presidente do RICS Portugal comenta: “O mercado de transações imobiliárias começou o novo ano com a mesma pujança de 2015, tanto para ocupação do imobiliário, como para investimento, não obstante alguma redução de confiança dos intervenientes no mercado imobiliário comercial. A próxima edição deste estudo trimestral permitirá verificar se isso se deveu a razões conjunturais, como julgamos, ou se essa diminuição de confiança se traduzirá em redução de atividade.”.

Fonte: RICS Portugal