quarta-feira, 13 de abril de 2016

Avril au portugal ouve-se a oriente

A obrigação de nos mostrarmos em todos os mercados disponíveis para bem receber todos aqueles que façam da nossa terra destino, aceitando os nossos costumes na certeza que também aceitamos os deles quando não colidem com os nossos, levam-nos, neste mês de Abril, que sempre foi um mês de promoção de Portugal, tão belamente cantado na canção “Avril au Portugal” aos orientes, mais precisamente ao Dubai e à China

Esta aposta na internacionalização do sector imobiliário, justifica as missões previstas pelo Salão Imobiliário de Portugal (SIL), a cujo Conselho Estratégico volto este ano a presidir, missões de verdadeira diplomacia económica a mostrar o que temos para oferecer, neste extremo ocidental da Europa, num país que é muito maior do que a dimensão do território sugere.

Como sempre digo, aqui, no Dubai, em Paris, em Pequim, em Xangai, em São Paulo, em Luanda, no Maputo, o que oferecemos neste rectângulo junto ao Atlântico, com cerca de 700 quilómetros no sentido norte / sul e 300 quilómetros no sentido este / oeste, num total de cerca de mil quilómetros de costa, também ela muito variada (sem esquecer as regiões insulares dos Açores e da Madeira), o que oferecemos, orgulhosamente, é algo com valor suficiente para gerar mais valor.

Refiro-me, naturalmente, à oferta imobiliária que temos para oferecer a quem aposta no investimento no nosso país, não podendo nem devendo ignorar a riqueza da nossa tradicional hospitalidade e abertura aos outros, a amenidade do nosso clima, quer social quer o da própria Natureza dos elementos, a qualidade da nossa gastronomia, ofertas que não têm preço, como é o caso da nossa hospitalidade ou que, tendo, se apresentam numa relação única quando avaliado em função da qualidade.

Mais do que águas mil, Abril é o grande mês, este ano, da própria promoção de Portugal, um mês bem emblemático e não apenas pela canção de Raul Ferrão que há anos corre o Mundo e que toda gente identifica como sendo de Portugal. Neste Abril arrancamos decididamente para um 2016 que seja verdadeiro primeiro grande ano do imobiliário após o interregno a que resistimos.

Na renovação das nossas cidades, um desafio que voltou a ser dinamizado há dias, pelo próprio Governo, ao anunciar novas medidas para a reabilitação urbana, com lucidez e empenho, consolidamos esta frente do imobiliário que também conta – e conta muito - para o nosso crescimento e para o nosso desenvolvimento.

Os acordes do Abril em Portugal, com os versos de José Galhardo sobre a melodia de Raul Ferrão, aquela maravilha que tanto nos comove se ouvida no estrangeiro e que começa com um inesquecível “Coimbra do Choupal, ainda és a capital, do amor em Portugal, ainda”, este abril está a tocar, no Oriente, neste mês de Abril com acordes que ajudam a mostrar como somos um país onde apetece investir para viver.

Luís Lima

Fonte: Apemip