segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Office Flashpoint: Setembro duplica atividade de ocupação de escritórios

A JLL divulgou os resultados da atividade ocupacional do mercado de escritórios de Lisboa relativos a setembro, revelando que neste mês foram arrendados 8.691 m2.

A performance é bastante positiva na comparação com o mês anterior, mais que duplicando (+122%) a área arrendada em agosto (3.918 m2). Já face ao período homólogo, setembro apresentou uma contração de 75%, desempenho que seria expetável, tendo em conta que no mesmo mês de 2015 foi arrendado um volume mensal recorde de 35.300 m2.

Mariana Rosa, Head of Office Agency e Corporate Solutions da JLL, explica que setembro de 2015 “foi um mês perfeitamente atípico e muito influenciado pela mudança da EDP para a sua nova sede na 24 de julho e do Banco de Portugal para o centro da cidade.

Estas duas operações, que concentraram cerca de 60% da ocupação naquele mês, acabam por não refletir a dinâmica real da procura, já que resultam da ocupação de espaços construídos à medida e que não são, por isso, colocados para arrendamento no mercado. A diferença de área colocada face ao mês homólogo não deve, por isso, ser interpretada como um abrandamento da atividade do mercado”, explica ainda Mariana Rosa.

Em setembro deste ano foram concretizadas 17 operações de arrendamento de escritórios em Lisboa, com uma área média de 511 m2. Apenas duas operações registaram a transação de áreas superiores a 1.000 m2, situadas no Parque das Nações e Corredor Oeste, que foram, aliás, as duas zonas mais ativas no mês, cada uma com 28% de ocupação. A Nova Zona de Escritórios concentrou 22% da área ocupada. Em termos de procura, foram as empresas prestadoras de “Serviços a Empresas” as mais ativas (29% do take up mensal), seguindo-se Outros Serviços (21%) e TMT’s e Utillities (19%).

Em termos acumulados, o mercado de escritórios termina setembro com uma ocupação em linha com o ano passado. Assim, nota o Office Flashpoint da JLL, nos primeiros nove meses de 2016, foram arrendados 99.801 m2 de escritórios em Lisboa, volume que apresenta uma diferença de -5% face aos 105.164 m2 tomados em igual período do ano passado. Nas contas anuais, a Nova Zona de Escritórios é a mais dinâmica (26% do take up anual), seguindo-se o CBD e o Prime CBD, com pesos semelhantes de respetivamente 21% e 20%. Também na análise anual, as empresas de “Serviços a Empresas” foram a franja de procura mais dinâmica (36% do arrendamento de escritórios), seguindo-se TMT’s e Utilities (23%). Nos primeiros nove meses do ano, a área média transacionada ascendeu a 679 m2, traduzindo a realização de 147 operações.

A entrada de novas empresas em Lisboa e a expansão de área motivaram em setembro mais de metade (53%) dos arrendamentos, enquanto que no acumulado do ano foi a mudança de instalações que continuou a predominar (com 56% das operações em termos de áreas).

Até setembro, a JLL foi responsável pela colocação de 22.435 m2 da área de escritórios transacionada em Lisboa, traduzindo a realização de 70 transações. Esta atividade garante à consultora uma quota de 28% entre os agentes imobiliários ativos neste mercado de arrendamento de escritórios.

Fonte: JLL