terça-feira, 4 de outubro de 2016

Volume de investimento imobiliário deverá atingir 1.8 mil milhões de euros em 2016

De acordo com o mais recente estudo da consultora imobiliária CBRE o volume de investimento imobiliário em Portugal deverá atingir 1.8 mil milhões de euros em 2016, o segundo valor mais alto alguma vez registado em Portugal.

No primeiro semestre de 2016 o investimento no sector imobiliário cresceu 6% com operações no valor de 1.050 milhões de euros. Tendo em conta o número de negócios em curso é previsível que o volume de investimento se mantenha sólido no segundo semestre do ano.

O sector do comércio foi o que registou maior volume de investimento, quase metade do total efetuado neste semestre, com cerca de 510 milhões de euros. Os escritórios representaram 38% do investimento, com destaque para a maior operação de sempre deste sector em Portugal, com a compra por 223 milhões de euros do fundo Office Park Expo, constituído por 10 edifícios ocupados pelo Campus da Justiça de Lisboa e um supermercado.

O investimento imobiliário continua a ser predominantemente de origem estrangeira, representando 78% dos negócios efetuados e 98% do investimento total deste semestre. Contrariamente ao observado no ano passado o investimento estrangeiro é maioritariamente europeu e não norte americano.

Para Cristina Arouca, Diretora de Research e Consultoria da CBRE, “O sentimento é de que o investimento irá continuar sólido no decorrer deste semestre, apesar de pairar um clima de incerteza. Atualmente existe um vasto portefólio de imóveis em comercialização, incluindo ativos core (de risco reduzido) e ativos oportunísticos (incluindo grandes portefólios de bancos), totalizando cerca de 750 milhões de euros. Estes negócios deverão estar concluídos até ao final do ano.”

De acordo com o estudo Perspetiva Imobiliáriai as yields prime diminuíram no primeiro semestre de 2016, em todas as zonas de escritórios e no sector industrial e logístico. No retalho registou-se uma tendência para a estabilização das yields, com exceção para os sectores dos Retail Parks e do Comércio de Rua do Porto.

Cristina Arouca acrescenta “as yields prime já se encontram abaixo dos níveis de 2007 e tendem agora a estabilizar gradualmente.”

Fonte: CBRE