terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Procura de espaços empresariais dispara no Grande Porto

O Grande Porto é um destino cada vez mais popular para a instalação de empresas, com a procura de escritórios a registar um momento de forte dinamismo, como atestam os resultados da JLL neste mercado. A consultora foi responsável pela colocação de 21.500 m² de espaços de escritórios ao longo de 2016, com a atividade da equipa da JLL Porto a intensificar-se ainda mais neste arranque de ano.

Em 2016, a equipa do departamento de Office Agency da JLL no Porto assessorou vários negócios relativos à colocação de espaços empresariais. Entre as operações concluídas no ano passado, a JLL destaca, pela sua dimensão, o arrendamento de dois edifícios completos, um dos quais com 11.685 m2 em pleno centro da cidade a uma multinacional francesa do setor financeiro, e outro, com 2.600 m², a uma entidade do setor hoteleiro. Destaque ainda para o arrendamento de 2.218 m² para os novos escritórios do maior operador europeu de BPO, a Webhelp, no edifício Hipercentro; e a instalação da Mercadona em 1.050 m² de escritórios no edifício Pinheiro Manso. Além destes, a Randstad, a Iten e a Prosegur são alguns ocupantes instalados através de operações mediadas pela JLL no Grande Porto.

Tendo em conta as operações já fechadas no primeiro mês do ano e as que a consultora está atualmente a acompanhar, as previsões para 2017 são ainda mais otimistas, sendo expectável um crescimento acentuado da procura e da atividade de tomada de espaços empresariais ao longo dos próximos meses.

“Este histórico da nossa atividade no Porto vem confirmar duas das tendências mais marcantes do atual ciclo imobiliário portuense: a “descoberta” do Porto como destino para a instalação de centros de BPO e shared services por grandes multinacionais e o vigor que se vive no mercado turístico da cidade”, começa por explicar Mariana Rosa, diretora de Office Agency & Corporate Solutions da JLL Portugal.

E acrescenta: “O mercado de escritórios do Porto está a assistir a um bom dinamismo do lado da procura, que deverá continuar a evidenciar-se ao longo de 2017. Diversas empresas na área dos call centres e dos serviços de back office estão muito ativas na procura de espaços na cidade para se instalarem, atraídas pelas condições vantajosas face a outras cidades europeias não só em termos de custos de ocupação como de qualidade de vida”.

De acordo com o estudo Market 360º Portugal, recentemente lançado pela JLL, as principais premissas destas empresas para a seleção das suas instalações são a proximidade a transportes públicos, espaços de grande dimensão por piso, boas infraestruturas técnicas e rendas atrativas. Embora a conjugação destes fatores já seja difícil de encontrar na oferta atualmente disponível na Invicta, também é verdade que, pela primeira vez em vários anos, já existem alguns edifícios em pipeline para responder aos requisitos exigidos pela procura. 

Na sua publicação, a JLL nota ainda que as rendas de escritórios no Porto têm-se mantido estáveis e, embora haja perspetivas de crescimento, este deverá ser pouco acentuado, uma vez que esta é uma das principais vantagens competitivas do mercado da Invicta enquanto destino internacional para a instalação de centros de serviços.

Fonte: JLL