quarta-feira, 15 de março de 2017

Mercado de Escritórios continua a crescer em 2017

A área de escritórios contratada em Fevereiro de 2017 (13.592 m2) foi superior em 59% à registada no mesmo mês de 2016 (9.687 m2).

Nos primeiros dois meses do ano, foram registadas 31 operações, correspondendo a mais 8 transacções do que em igual período do ano anterior. O maior número de operações verificou-se no Corredor Oeste (Zona 6), com 30% da área transaccionada. No extremo oposto, a Zona Secundária (Zona 4) e o Parque das Nações (Zona 5) apenas registaram uma operação cada.

Analisando a distribuição geográfica dos m² colocados, o Prime CBD (Zona 1) e o Corredor Oeste (Zona 6) registaram a maior área contratada entre Janeiro e Fevereiro, traduzido em 10.557 m2 e 9.378 m2, respectivamente.

Do total da área contratada até Fevereiro de 2017, apenas duas transacções foram referentes a edifícios de escritórios novos, com uma representação de 25% da área total contratada no período em análise.

Teresa Cachada, analista do Departamento de Consultoria da Aguirre Newman salienta “A procura por escritórios com características modernas tem sido uma constante, procura essa que o mercado tem cada vez mais dificuldade em satisfazer devido à falta de construção de novos edifícios de Escritórios. Em zonas como o Parque das Nações, a limitada oferta tem tido repercussões no valor das rendas, verificando-se o seu aumento nos últimos meses.”

A superfície média contratada por transacção aumentou cerca de 18%, de 864 m2 em Fevereiro 2016 para 1017 m2 em 2017.

“A procura de áreas superiores tem sido registada por empresas de Call Centers e Shared Services que, adicionalmente à qualidade dos espaços, procuram áreas de grande dimensão, habitualmente acima dos 500 m² e chegando por vezes aos 5.000 m². A solução encontrada tem passado por vários escritórios dispersos pela cidade de Lisboa, uma alternativa menos eficiente da desejada inicialmente (um único espaço de escritório com todos os serviços centralizados)”.

Avaliando a absorção por intervalo de área contratada até Fevereiro do ano em curso, na zona do CBD pelo menos 50% das transações registaram uma superfície inferior a 300 m2.

No mês de Fevereiro de 2017, o sector “Farmacêuticas e Saúde” destacou-se, tendo sido responsável por 44% da área contratada (6.041 m2 num total de 13.592 m2).

Fonte: Aguirre Newman