segunda-feira, 13 de março de 2017

Prémio Nacional de Reabilitação Urbana 2017 com número recorde de 83 candidaturas

Na edição em que celebra cinco anos, o Prémio Nacional de Reabilitação Urbana recebeu um número recorde de 83 projetos candidatos, oriundos de 22 concelhos de Portugal Continental e das regiões Autónomas da Madeira e dos Açores.

O número de candidaturas recebido este ano supera em 38% os 60 projetos da edição de 2016 e também a cobertura geográfica das intervenções aumentou substancialmente (+ 38%). Dos projetos a concurso na edição de 2017, 41% são de uso habitacional; 25% de comércio e serviços; 19% de equipamentos sociais e 15% de turismo. Os vencedores da edição de 2017 serão conhecidos numa cerimónia da gala no próximo dia 29 de março, a realizar no antigo Museu dos Coches, em Belém, um espaço nobre cedido para o evento no âmbito do Alto Patrocínio do Governo de Portugal, concedido através da Direção Geral do Património Cultural, entidade tutelada pelo Ministério da Cultura.

O evento é parte integrante da agenda da IV Semana da Reabilitação Urbana de Lisboa, que este ano decorre de 27 de março a 2 de abril no renovado Cineteatro Capitólio., no parque Mayer, junto à avenida da Liberdade.

A decisão sobre os melhores projetos de reabilitação urbana no âmbito da nova edição do Prémio Nacional de Reabilitação Urbana caberá ao júri independente composto por João Duque, Nuno Valentim, João Pedro Falcão de Campos, Manuel Reis Campos e João Appleton.

A concurso estão as categorias de Habitação; Comércio & Serviços, de Impacto Social (19%) e Turismo (15%).; além do “Melhor Projeto em Lisboa”, cidadã anfitrião do galardão. Serão ainda atribuídas menções honrosas para “Melhor Reabilitação Estrutural”, que visa distinguir a melhor intervenção de preservação estrutural do edificado e foi introduzida nesta edição; para a “Melhor Reabilitação Inferior a 1.000 m²”; “Melhor Intervenção de Restauro” e “Melhor Solução Eficiência Energética”.

Criado para premiar a excelência na renovação das cidades portuguesas, esta iniciativa distingue todos os anos os melhores projetos de reabilitação urbana no nosso país. Foi lançada em 2013 e tem vindo a construir um sólido percurso enquanto a distinção de maior prestígio na área da reabilitação do edificado e requalificação dos territórios no nosso país, recebendo desde a sua primeira edição um total de 280 projetos a concurso.

A habitação é o segmento de maior investimento nesta área, concentrando mais de uma centena (cerca de 37,5%) dos projetos que concorreram a este Prémio ao longo destes cinco anos. As restantes áreas de intervenção distinguidas pelo galardão – nomeadamente Comércio & Serviços; Turismo e Impacto Social – apresentam pesos semelhantes em torno de 20% dos projetos candidatos desde a primeira edição.

No espírito de inovação e dinamismo que carateriza esta iniciativa coorganizada pela Vida Imobiliária e pela Promevi, a 5ª edição do Prémio Nacional de Reabilitação Urbana apresenta diversas novidades, incluindo o apoio institucional da SECIL à iniciativa, à qual a empresa se associa de forma alargada. A iniciativa conta também com os patrocínios platina da Schmitt+Sohn Elevadores, da CGD e da Aguirre Newman. Nos patrocínios ouro, renovam o apoio a Revigrés e a Sanitana, juntando-se à nova edição a SRS Advogados. O IMPIC, a CPCI, a Ordem dos Arquitectos, a União das Misericórdias Portuguesas, a APPII e a ALP renovam também o seu apoio institucional ao evento, que conta com o Idealista como portal oficial.

Fonte: VI